terça-feira, março 27, 2012

razões e motivos

hoje li uma frase que me deixou a pensar durante várias horas.

era sobre o motivo de escrever. perguntava de modo directo, e indirecto, sem sequer usar pontos de interrogação, o que leva as pessoas a escrever, qual o seu destino final. primeiro senti-me indignado com o que a frase dizia. depois pensei no conteúdo da frase. finalmente acabei a dar razão à frase.

nunca duvidei que se aprende a todos os minutos que passam. nunca duvidei que a melhor massagem ao ego vem sob a forma de elogios espontâneos, pouco forçados, pouco materiais e, sobretudo, desinteressados. egos à parte (e se os egos ocupam muita da maquinaria por trás de tudo o que fazemos na vida) eu esforço-me sempre por tentar ter a humildade de olhar para as bússolas, mesmo as que me parecem feias e ferrugentas à primeira miradela, contemplá-las durante uns bons minutos (ou horas) e perceber o que é que ali está que me possa ajudar a re-orientar os eixos no sentido de um norte ou sul mais magnéticos e menos magnoegoéticos.

a frase não a digo. isto é um pouco como quantos ovos usar na receita ou como o truque da raspa de limão, o segredo ainda continua a ser a alma de muito bom negócio.

Sem comentários: