sábado, maio 29, 2004

Ó pá! Assim também é complicado!



É oficial! Existe mais uma música de apoio à nossa selecção neste Europeu. Depois do hino de língua enrolada de Nelly Furtado, e do hip-hop gasolineiro de cortar a barba... eis que aparece uma música de um grupo brasileiro, em jeito de homenagem à selecção e a Luiz Felipe Scolari.

O problema é que esta música foi feita pelos "Canta Baía!" (sim... eu sei que não se esreve Bahia daquela forma... mas isso estragava a piada...). Em exclusivo, o Oranginalidade traz aos seus leitores declarações de Vítor Baía que, no meio da sua indignação, gritou: "Ó pá! Assim também é complicado! Já não bastava eu pensar que tinha sido convocado quando vi aquele anúncio da relva no chão em todo o lado... agora ainda gozam! Não canto, garanto que não canto!".

O grupo brasileiro já pediu desculpa pelo sucedido, e assegurou-nos, em primeira mão, que vai mudar o seu nome para "Canta Ricardo", com os opcionais "Canta Quim" ou "Canta Moreira". O vocalista do grupo disse-nos ainda que reza todos os dias para Quim não ir à baliza, só e apenas porque o nome "Canta Quim" não tá com nada, né? Parece, palavras dele, "umá fechádura dji uma pórtá sendô féchada".

sexta-feira, maio 28, 2004

Rock in...

É verdade, começou hoje esse grande festival de música... o Rock in Ritto.
O Oranginalidade apurou que os artistas cabeças-de-cartaz para o dia de hoje serão o Pequeno Saúl e o Coro de Santo Amaro de Oeiras. Não conseguimos apurar quem será o tronco-de-cartaz, muito menos os membros-de-cartaz.

Era só isso... como diz o JTRA... verdadeiro serviço publico!

quinta-feira, maio 27, 2004

O homem da noite



Já muita gente falou da noite de ontem e, como tal, não vou chover no molhado. Mas tenho para vocês algumas notícias exclusivas e escaldantes. Tudo isto se relaciona com as declarações feitas ontem pelo homem da noite, o simpático e humilde José Mourinho. Assim sendo, julgo que muitos de vocês ouviram-no dizer "Amanhã vou-me reunir com a direcção do meu clube e vou abrir o meu coração!". Pensam que isto termina aqui? Enganam-se... A pérola veio com a frase "Vou abrir tudo o que eu tenho para abrir!".

Pois é... Mourinho descuidou-se e levou o Oranginalidade a intensa pesquisa jornalística, que nos permitiu descobrir que hoje haverá festa da grande na Torre das Antas. Temos em nossa posse um recibo da compra de um chicote em nome de Jorge Nuno Pinto da Costa e fonte nossa não identificada que trabalha nos correios (obrigado Zé António Almeidinha pelo teu papel importante aí nos CTT) confirmou a existência de uma encomenda marcada como "Artigos de Cabedal" em nome de José Mourinho. O remetente? Ao que parece R.Abrahmovic era o que lá estava escrito...

Tudo indica que esse material foi uma exigência do técnico português para assinar pelo Chelsea. Ai estes são os filhos do dragão...

terça-feira, maio 25, 2004

Auto-ajuda



Se houve coisa que sempre me fascinou nos E.U.A. são os inúmeros livros de auto-ajuda que inundam as prateleiras das livrarias americanas. Então as dos aeroportos nem se fala... O que já me choca mais é o facto de, com o tempo, a moda ter pegado por estes lados, e muitas dessas verdadeiras pérolas literárias terem sido traduzidas para português e estarem aí ao dispor de toda a gente.

Ora, eu considero este fenómeno como quase paranormal. Quem é que no seu bom juízo acha que dá resultado comprar um conjunto de folhas encadernadas com o título "Como dar lucro à sua empresa em 10 passos!" ou então "Torne-se um grande chefe de cozinha em 30 minutos!"? Para não falar dos ainda mais trabalhados "Como vencer os seus medos com a ajuda da música tradicional do Nepal!" ou "Disfunção Sexual? Saiba como curá-la em 15 dias!"...

Enfim, o mais grave disto tudo é que há quem compre. Mas para perceberem que há gente definitivamente influenciável, eu próprio confesso que perdi algumas horas a ler "O ABC do xadrez", talvez na esperança de acrecentar pequenos sufixos ao meu nome e tornar-me quem sabe o Joaoenko Pedrov do tabuleiro... Pior está o meu amigo RM (que me emprestou "O ABC do xadrez") porque tinha outro livro da mesma colecção chamado "O ABC do ténis"... Parece que estou a imaginar o Agassi ou o Sampras, quando eram novos, com a raquete numa mão e "O ABC do ténis" na outra...

segunda-feira, maio 24, 2004

Entrevista a Luiz Felipe Scolari



Com a aproximação do início do Euro 2004, o Oranginalidade associa-se à festa, e, como tal, é natural que vão aparecendo por aqui novidades sobre o assunto. Também é natural que nalguns dias não apareçam posts, já que nos associamos tanto à festa... e a festa às vezes dura até muito tarde no dia anterior...

Hoje trazemos um exclusivo, de uma entrevista concedida pelo seleccionador ao Oranginalidade. Esta é a primeira entrevista dada por Scolari desde que... desde que... o encontrámos ontem para o entrevistar!

Oranginalidade - Luiz Felipe Scolari, está contente por estar em Portugal?
Luiz Felipe Scolari - Eu tô muito feliz de estar aqui, junto a esse povo irmão, gente maravilhosa, cê sabe que o meu avô era português?
O - Ai sim? Curioso... o meu também. Passando à frente, como reage às críticas por não ter convocado Vítor Baía?
LFS - Bem, bem... Não tenho problema com isso. Sou eu que mando, eu é que convoco quem eu quiser...
O - Mas porque não convocou esse jogador?
LFS - Cara, eu te vou explicar, mas isso aí fica em "off-record", não é para publicar... Não convoquei o Baía, porque eu estou apaixonado por ele, e como ele é casado, eu me ia sentir mal tendo esse jogador tão perto.
O - E Boa Morte?
LFS - Lagarto, lagarto, lagarto! Como poderia eu convocar alguém com um nome desses? Ia dar azar na certa, cara.
O - E quais as expectativas para este Euro2004?
LFS - Olha, eu espero que finalmente me paguem, porque o Madaíu já não me passa cheque vai para três meses. Sei que são expectativas elevadas, mas pronto...
O - Só a título de curiosidade, costuma visitar o Oranginalidade?
LFS - Com certeza! Todos os dias, depois do site d'A Bola e do Record, leio esse blog, e de seguida o site d'O Jogo.
O - E para terminar, tem alguma mensagem que deseje enviar ao povo português?
LFS - Tenho sim! Que usem téni Nike... que bebam guaraná... e Coca-Cola, também podem beber...

domingo, maio 23, 2004

Anda cá ao papá



Descansem porque, apesar do título sugestivo, este post não se refere a nenhuma perversão sexual mas a uma música de hip-hop. Com esta primeira frase já devo ter perdido os leitores que esperavam por um conto interessante com personagens como uma jovem colegial mal comportada e um professor exigente... Adiante!
O autor da dita música, dono de um complexo de Édipo mal resolvido, é Boss AC e a obra-prima já tem uns anos mas eu só me apercebi da sua verdadeira beleza há dias.

A letra relata a história de um rapaz que estava em casa, sozinho e triste, num sábado à noite, quando os seus “dreads” o convidam a ir até uma discoteca. Lá encontra uma “alta mulata de caracóis” que tenta seduzir (verdade seja dita, não precisou de se esforçar muito…). À medida que a música é cantada/falada, o ouvinte fica na expectativa de descobrir como corre o “engate”. Para quem não conhece a canção, adianto já que o rapaz é bem sucedido. O namorado da miúda tem que ir à casa-de-banho e o nosso herói, graças ao seu grande engenho e sentido de oportunidade, consegue levá-la para uma escada escura, depois de lhe sussurrar palavras apaixonadas como “Comé? Bora lá!” e “Deixa-me ser o pirata, para tu seres o meu tesouro”. E a mulata arrebatada lá se deixa atrair por esta promessa de amor…

O romance acaba quando ela se lembra de que o namorado deve estar preocupado e volta para a discoteca. Mas a narrativa prossegue. Ele compromete-se a guardar segredo do pecado cometido pelos dois e vê-se que cumpriu: não escreveu nenhum tema para um CD e não canta insistentemente o refrão “Anda cá… vem ao papá”, enquanto uma voz off repete “tu sabes quem és…” em tom ameaçador!

Laranja Mecânica



Consegui finalmente ver este filme, pelo qual ansiava faz tanto tempo. Foi graças ao meu amigo RS, que me concedeu por empréstimo o DVD da obra e eu lá me sentei a observá-la.

E apenas vos garanto que fiquei completamente "plasmado". É um grande filme, e enquanto o vemos nunca nos podemos esquecer da sua data de lançamento: 1971!!! O ambiente futurista é impressionante, a história é perturbante, mas intensa e apaixonante e a banda sonora... ui! A banda sonora até me arrepia... algo de transcendente que me obrigou a ir buscar a mesma muito rapidamente para me poder deleitar na fase pós-filme.

Kubrick encheu-me as medidas! Admito que não seja um cinema fácil de gostar, a história é muito densa, a violência roça o superficial e o vanguardismo do realizador é muito "sui generis". Mas eu pura e simplesmente adorei. Cenas como aquela em que Alex e o seu gang espancam um escritor e a sua mulher ao som de "Singing in the Rain" são absolutamente fabulosas e de um esplendor cinematográfico como poucos conseguem.

Bravo, Stanley! Bravo!

sábado, maio 22, 2004

Os esquecidos!



O Oranginalidade teve acesso à lista de convidados para o casamento real de hoje em Espanha, e pode adiantar-vos alguns membros de famílias reais que foram pura e simplesmente esquecidos. Acrescentamos ainda que essas pessoas estão muito tristes e a ponderar quebrar os seus laços reais.

- Rei Ninho: carismático vocalista dos GNR, Rui Rei Ninho não foi convidado. Consta que terá ido afogar as suas mágoas para a noite da Invicta. Consta...

- Rei das Fardas: pobre senhor, mata-se a vender batas a toda a gente, de médicos a senhoras da limpeza, e também não foi convidado. Uma pena...

- Conde Drácula: pelo que se sabe, não foi convidado devido a dificuldades logísticas em arranjar sangue para a boda real. Ah! E mais do que isso... porque alguns dos pratos da real ementa real vão ter alho, o que seria um bocado chato para o Conde. Em declarações exclusivas ao Oranginalidade, o Conde Drácula confessou: "Não são razões suficientes para não ser convidado. Vou-me fechar no meu caixão a reflectir, mas garanto-vos que o novo casal real não será bem recebido aqui na Transilvânia!".

- Rei de Copas: o mais grave é que além do Rei de Copas, também ninguém convidou os de Espadas, Ouros e Paus. Diz-se que a família real de Baralho de Cartas se encontra profundamente irritada, e o 2 de Paus até nos revelou: "Isto assim é muito complicado amigo, parece que nos baralham, baralham, baralham e no fim ainda nos partem!".

sexta-feira, maio 21, 2004

Culpado é encontrado!



Está descoberto o novo flagelo da sociedade moderna (pelo menos da portuguesa) e que é: o constante aumento do preço dos combustíveis. Esta é uma realidade indesmentível, mas não é essa a novidade que vos trago. Numa investigação altamente secreta (na qual vos posso adiantar que se utilizaram meios de tecnologia de ponta como dois copos unidos por um cordel ou uma lupa para fazer arder folhas) o Oranginalidade foi investigar a questão até ao miolo.

Bem, diga-se em abono da verdade que até ao miolo aplica-se mais às sandes que tivemos de comer para ganhar força para a tenebrosa e periclitante investigação. Mas valeu a pena.

É verdade que tínhamos o trabalho facilitado por duas pistas fulcrais: os abalos sísmicos entre as 14:32 e as 14:37, todos os dias, no bairro do Prior Velho... e ainda o facto de as bolas de berlim em Lisboa serem praticamente todas iguais. Não perguntem porque são fulcrais... nem sequer nós sabemos responder a isso...

No final, conseguimos chegar a brilhante conclusão: os culpados dos aumentos no combustível são os ciganos!!! Isso mesmo, não os países produtores de petróleo, não o governo, não a indústria petrolífera, mas sim os ciganos! A velha mania que os ciganos têm de "snifar" gasolina esgota as reservas do nosso país e obriga o preço a ter de ser aumentado. Uma vergonha... uma vergonha!!! A única solução que vejo para isto é dançar o Malhão todos os dias por volta das 15 horas no meio do Marquês de Pombal! Solução óbvia... mas que ninguém quer tomar! Outra vergonha...

quarta-feira, maio 19, 2004

À terceira é de vez!!!



Como tenho muita lata... este post é na linha de dois recentes... (um deles mesmo recentíssimo, o meu último) e trata da adaptação, não de séries (porque somos muito oranginais por estas bandas e isso depois na verdade tornar-se-ia repetitivo... quer dizer... até parece que assim não...), mas sim de filmes estrangeiros, para português. São novidades muito secretas e portanto só espero que tenham bastante cuidado na divulgação das mesmas (ao dizer isto espero que as publicitem, bem como a vinda aqui ao meu "little corner", numa jogada minha à laia d'"o fruto proibido é o mais desejado").

- Tó Pegane: história de um filho de uma ex-emigrante "na França" (daí a sempre típica mescla do nome António com o Pegane do francês com quem a senhora se casou). O rapaz entra para a Força Aérea, e depois há para lá umas intrigas. Ah! Na cena mais espectacular do filme, Tó Pegan faz um cozido à portuguesa, utilizando para aquecimento dos ingredientes a barriga de uma moçoila pela qual anda embeiçado.

- O Império do Sal: muito bonito este filme, trata das importantes batalhas da Segunda Guerra Mundial passadas na zona de Alcácer do Sal e nas salinas envolventes. Um míudo que foi separado da família passa por uma série de situações e acaba por se moldar ao Império do Sal Nascente. Numa cena inesquecível em que morre alguém próximo dele, ao longe explode mais um paiol de pirotecnia no nosso país, e o míudo pensa que é a alma de quem morreu a ir embora.

- E.T., o jovem da margem sul: esta película conta-nos uma história ternurenta, de um jovem da margem sul, que aterra por acidente em Lisboa, e que como é natural se sente que nem um extraterrestre nesse mundo complexo e diferente. Os cientistas tentam a todo o custo examinar um exemplar de uma espécie tão rara. Entretanto, o pobre jovem apenas queria telefonar para casa... (Só para avisar que chegava mais tarde ou assim, deve ser isso...)

- Hábito: esta sim a grande novidade. Sim, grande, porque ainda não há versão estrangeira deste filme. Peter Jackson irá provavelmente aceitar rodar em exclusivo a versão portuguesa da história de Tolkien, com as devidas adaptações. Neste caso, vamos ter um monge marreco, que tem uma viagem cheia de perigos (tão grandes como nadar no Trancão ou atravessar a pé a Segunda Circular) para conseguir o tão desejado objectivo de chegar ao Covil do Dragão (leia-se estádio) e de conseguir o tesour. O tesouro está guardado por esse terror dos humanos, o monstro JNPdaC! Pelo caminho encontra um surpreentente "cachucho", que o torna invisível (mas só nos balneários das raparigas). Este filme é o prelúdio à famosa trilogia "O Senhor dos Cachuchos". Porquê hábito no título, não é? Porque o hábito faz o monge...

Andam poetas à solta na blogosfera

Acabadinho de sair do forno, o Oranginalidade teve o prazer de receber por e-mail este pequeno, mas bonito poema, da autoria de Ana Lima, com o título "Piedade". Assim vai:

"Piedade
Eu que calo a todas as horas...
Que sei que no desespero mudo
As palavras se fazem agulhas,
Que da expressão das dores sem nome...
Sobra um andar de esperança perdida,
Amanheço pedindo, anoiteço implorando
Que das trevas se erga uma alma
E me acompanhe no silêncio profundo"

terça-feira, maio 18, 2004

Mais coisas que se seguem!

Muitos de vocês se recordam (honestamente ninguém se lembra, não é?) de algumas notícias bombásticas trazidas a público pelo Oranginalidade sobre séries estrangeiras que vão ser brevemente adaptadas ao nosso mercado, e em português. Pois é... para vosso gáudio (ou grande tristeza... é... deve ser mais isso) o Oranginalidade teve acesso a mais umas pérolas que vão seguir essa mesma rota e que aqui ficam para vocês.

- Sem Fel: esta série é sobre um comediante, que faz piadas sozinho e deixa toda a gente a rir. Vejam só esta piada exemplar, que dá o nome à própria série: "O banco do Benfica tinha fel e o do Porto tinha mel, logo era um banco Sem Fel". Diz-se que em breve este comediante é capaz de ir fazer humor para Inglaterra.

- Dá-las: série passada num rancho alentejano, sobre uma família muito rica, em jeito de telenovela, com muitos amores e desamores. Usam muito chapéus à cowboy e o ponto principal da história é que a cadela desta família teve oito cadelinhas pequeninas, e a família tem de arranjar maneira de dá-las.

- Chias, aquele bar: não tem muito interesse, mas aparentemente passa-se tudo num bar, em que as pessoas vão entrando, saíndo, conversando por lá... ah! E a porta do bar chia, o que dá nome à série!

- O Barco do Humor: esta sim parece ser uma grande série! Num barco de cruzeiro enorme, que faz esse maravilhoso percurso Cacilhas-Seixal-Barreiro-Cais Sodré-Cacilhas (romântico "pra caramba"), em cada episódio toda a gente se ri muito, porque a tripulação (que é sempre a mesma) está sempre numa de fazer larachas. A banda sonora inclui músicas como "O humor está no ar" (no episódio em que Herman José anda aos saltos num trampolin) ou ainda o magnífico "Humor de mãe" (neste episódio uma mãe que acha que tem graça, diz muitas piadas secas, e o episódio acompanha o drama do afastamento dos seus filhos em função disso).

segunda-feira, maio 17, 2004

Primavera...



Em Maio vive-se a plenitude da Primavera. O calor ameno trouxe as andorinhas de volta aos beirais, onde reconstroem os seus ninhos com dedicação; as flores abrem-se envergonhadamente e estendem-se verticais ao sol do meio-dia e as pessoas parecem mais felizes com a promessa do Verão. Oiço na rua a música da Natureza… Mistura-se harmoniosamente com o compasso agitado da grande cidade. Que mês perfeito!

Ou quase… Como todas as utopias, também esta tem uma lacuna e alguns, menos ditosos, conhecem-na bem. Pobres dos que padecem das alergias tão características desta época do ano! O pólen, para mim símbolo da fertilidade primaveril, significa para estas pessoas espirros, comichões, olhos lacrimejantes, pingo no nariz…
Hoje, desejo a todos os alérgicos um alívio da sua hipersensibilidade. Que possam, como eu, inspirar profundamente este ar maravilhoso e apreciar a beleza da estação!

domingo, maio 16, 2004

Bomba



Mais uma vez fomos confrontados através da comunicação social com um caso dramático da morte de um jovem desportista. Este ainda cinco anos mais novo. Estas notícias são verdadeiras "bombas" na nossa reflexão... Para os que praticam desporto e têm a idade próxima da destes atletas, como é o meu caso... para os pais de quem pratica desporto e que têm filhos destas idades... para os avós, para os amigos, enfim...

Também é verdade que não podemos ter pena só nestes casos. Temos de nos lembrar que diariamente morrem pessoas, e algumas jovens, nos nossos hospitais, com as mais diversas patologias. A primeira vez que fui fazer banco (de Urgência, entenda-se), passados cinco minutos, passava no corredor uma maca com um doente acabado de morrer... entretanto nos cuidados intensivos (ou Serviço de Observação, como preferirem) cerca de dez pessoas debatiam-se entre a vida e a morte, monitorizadas por todos os aparelhos e mais alguns. A minha presença no mundo da saúde/doença faz-me ter uma perspectiva algo diferente da maioria da população no que toca a estas questões, mas não é por isso que elas me chocam menos.

Afinal, acho que somos todos vulneráveis ao que é mediático e nos entra pela casa dentro sem pedir autorização...

Que descanse em paz o jovem atleta do Benfica, assim como as outras pessoas que morreram ontem no Hospital Curry Cabral (que é aquele em que eu já fiz mais bancos) e nos outros hospitais portugueses e do mundo...

(quis a ironia do destino que esta fotografia a que dei o título de "Bomba Atómica" tivesse sido tirada por mim, estando o sol "bombástico" situado precisamente no sítio do campo do Sport Lisboa e Olivais, onde o Bruno Baião teve o seu colapso fatal...)

sábado, maio 15, 2004

Bright new day



Os meus passeios de bicicleta aqui pelo Parque são como que uma dose reforçada de boa disposição. O ritual de pôr os phones, abrir a garagem, acelerar até junto do Oceanário... e depois aproveitar o bom ar que o rio nos traz. Sim... porque o rio ainda nos traz bom ar, cheira a mar, cheira a algas, transpira boa onda.

O que se retira dos passeios é muito vasto. Um grande amigo meu, companheiro de pedaladas, tem alguma queda para o ciclismo. No sentido literal da palavra... :) Acha graça ao chão destas bandas e então entra em contacto muito próximo com o mesmo.

Já eu... se há algo que me dê prazer é levar o meu "piqueno" para poder fotografar oportunidades. Sim... podem não achar graça a essas oportunidades, não é? Mas dá-me mesmo gozo... Sinto-me bem. Capto o momento e o momento capta-me a mim.

E hoje partilho um desses momentos aqui... numa lembrança de há dois ou três meses... em que as nuvens ainda preenchiam preferencialmente o céu...

sexta-feira, maio 14, 2004

Chocado



Vim agora do ginásio e tenho a dizer que... estou chocado. É que só hoje cheguei a uma constatação, que talvez até já pudesse ter sido atingida mais cedo. E estou a falar das velhotas que lá andam. Gente com mais de 60 anos a fazer máquinas como quem se está a preparar para uma competição de halterofilismo.

Meus amigos, mas afinal o que é isto? Ninguém duvida da importância de manter uma vida activa em todas as idades... Ginástica (hidro ou não hidro), quando muito bicicleta ou andar na passadeira... isso ainda percebo e até aplaudo! Agora, musculação??? Mas quem é que aquelas velhotas querem ir engatar? De que é que lhes serve trabalhar os peitorais ou os bicípetes braquiais? E os rombóides? Meu Deus... até os rombóides! Para terem costas firmes...

Venho chocadíssimo... só me estou a imaginar uma destas noites a sair, a ver um corpo todo bem trabalhado de "femme" e quando esta se vira... apresenta-se no esplendor dos seus 80 anos. Medo!

quinta-feira, maio 13, 2004

Les filles de mon âge



Nascemos nos primeiros anos da década de oitenta e passámos a infância vestidas com bibes aos quadrados e com medo da professora primária, que tinha autoridade para nos aplicar uma açoite quando não fazíamos os trabalhos de casa. O programa de televisão onde passavam os desenhos animados era o Um-Dó-Li-Tá e assistíamos ao Meu Pequeno Pónei, aos Ursinhos Carinhosos, entre outros. Os rapazes viam os Transformers e as Tartarugas Ninja. E quem se lembra de ouvir o Avô Cantigas? Seria a parte da letra “todas as crianças são minhas amigas” tida como inócua nos dias de hoje?
Líamos Enid Blyton (Os Cinco, Os Sete, As Gémeas no Colégio de Sta. Clara) e os livros Uma Aventura, das conhecidas autoras portuguesas Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada. E eu perguntava-me como é que as personagens dos livros, que eram da nossa idade, tinham tanta liberdade para acamparem com os amigos nos sítios mais recônditos. Imaginava que a minha vida também poderia ser assim e que nas próximas férias não tinha que ir com os meus pais outra vez para o Algarve…
Na adolescência usávamos calções de lycra (ai, que vergonha!) e ténis All-Star, ouvíamos Bon Jovi e pensávamos que A Lua de Joana era o melhor livro alguma vez escrito!
Agora que somos vintonas e podemos, finalmente, comprar e comer uma Gorila sem pedir autorização aos pais, a pastilha da moda é a Bubaloo!...
Resta-nos reviver estes “bons velhos tempos” com os amigos, contemplar as fotografias amarelecidas que nos recordam quem fomos… e nos lembram que temos ainda muito tempo para Ser!

Sun is back


A luz das pirâmides, por JP


E o astro-rei volta esplendoroso como sempre. Acorda explosivamente, como que numa sinfonia de cor e luz, como se se tratasse de um espectáculo de pirotecnia que ilumina a manhã... Essa manhã que ainda trazia aquele friozinho acolhedor de quem recolhe os navegantes da noite e arrepia os ossos dos corajosos da manhã que vão para aqui e para ali.

Cruzam-se uns e outros... se estiver um céu de nuvens, se houver neve, se chover... nem se olham. Mas agora contemplam-se. Sortes, azares, sentimentos cruzados no passar de uma pessoa por outra a meio de uma avenida. Por testemunhas só as árvores, os "pius" dos pássaros e a calçada portuguesa nas suas curvas alvi-negras. E seguem para nunca ou quase nunca mais se verem, mas fica o momento, fica a alegria do contacto humano, fica mais uma pedra num pilar chamado cultura.

E agora as gotas de orvalho já escorrem do poste de iluminação, a humidade... também ela diz adeus à noite e ele vai cada vez mais alto, amarela tudo, não deixa ninguém na sombra. A água enrola-se na sua luz, como quem se espreguiça de prazer, ganha outro ar, outra pureza, e prateia-se... prateia-se e prazenteira-se... e assim ficará umas boas 14 ou 15 horas...

Que falta que o sol nos faz... seja o do Cairo ou o do Parque das Nações

quarta-feira, maio 12, 2004

É hoje o dia 12 de Maio



Tenho a certeza que muitos de vocês receberam o entretanto famoso mail, em que se conta uma história de alguém (que é sempre muito próximo de quem conta a história ou manda o mail... cof cof) que encontrou uma carteira no autocarro/metro/barco de Cacilhas (riscar o que não interessa) e que ao abri-la viu os documentos e foi devolvê-la ao dono, que era um indivíduo indiano/paquistanês/árabe (riscar novamente o que não interessa). O senhor ficou muito agradecido e queria pagar a quem devolveu os seus pertences, mas a pessoa não aceitou e então o senhor disse-lhe: "Olhe, então só lhe dou um conselho... não beba (agora não se pode fazer publicidade, mas era uma bebida cujo nome começa por C, acaba em A, e pelo meio tem as letras OCA-COL numa ordem perfeitamente aleatória, como é óbvio) a partir de 12 de Maio".

E acabava assim. Ora... eu não estou a gozar com esse mail. Longe de mim, porque isto são coisas sérias e com isso não se brinca. Só acho foi que se esqueceram de outros conselhos que o senhor também é capaz de ter dado ao "devolvedor de carteiras", como por exemplo:

"Olhe, não fume muito tabaco a partir de 12 de Maio"
"Olhe, quando chover use chapéu"
"Olhe, quando o sinal muda para verde é para avançar"
"Olhe, estar vivo é o contrário de estar morto"
"Olhe, os gajos da P...i (preencher os espaços com as letras e, p, s) deram-me bom dinheiro para mandar este mail..."

Isto sim coisas utéis e a reter! Hmpf...

(a fotografia não é com intuitos publicitários... é só mais uma incursão de JP e o seu telemóvel ao mundo árabe, o que neste caso até vinha a propósito...)

terça-feira, maio 11, 2004

O submundo da cozinha... portuguesa, com certeza



Podemos encontrar verdadeiras maravilhas gastronómicas pelo nosso país fora. Do Norte ao Sul, passando pelo Centro e sem esquecer o interior.

Porém, não obstante a qualidade culinária destes nossos verdadeiros manjares dos deuses, vamos lá esclarecer uma coisa:

Quem é que dá o nome aos pratos nacionais?

Não sei quem é, ou quem são, mas de certeza que devem ser pessoas altamente qualificadas para ocupar esse cargo, porque, 'quer-se dizer', temos que dar crédito a estas pessoas que se esfalfam por arranjar nomes tão originais e diferentes para os cozinhados dos outros.

'Que disparate!' estarão por esta altura vocês aí a pensar, mas o facto é que o Oranginalidade teve acesso a provas irrefutáveis que claramente indiciam que os nomes dos cozinhados não são dados pelos seus talentosos auto-intitulados inventores. Os cozinheiros compram essas ideias a indivíduos que mediante o pagamento de uma determinada quantia em dinheiro cedem os direitos de um nome que possa dar a maior projecção possível à sua iguaria.

Ao que conseguimos apurar existem preços para todos os gostos, indo dos mais baratuxos, como o simples 'Bifinhos com cogumelos' ou 'Peixe Saloio', até aos mais caros como 'Francesinha' ou 'Bacalhau Soberbo', nomes mais delicados e com um certo glamour.

Também trabalham por encomenda, adequando-se aos diversos pedidos dos autores (no seu top de vendas está o bacalhau, uma matéria prima com grande saída junto dos cozinheiros portugueses) e.g. 'Bacalhau à Zé do Pipo', 'Bacalhau à Lagareiro', 'Bacalhau à Gomes Sá', 'Bacalhau à Maria', 'Bacalhau à Mónica', 'Bacalhau da velha Tomásia', 'Bacalhau à Susana', 'Bacalhau à moda da Dona Deolinda' and so on and so on...

Existem também pedidos mais religiosos como o 'Bacalhau Espiritual', 'Bacalhau de frade', 'Barriga de Freira'; outros mais regionais 'Bacalhau à Francesa', 'Bacalhau à Italiana', 'Bacalhau à Transmontana'; ou ainda temas de ordem política 'Bacalhau à Diplomata' ou 'Bacalhau à Príncipe'...

No entanto, não se ficam por nomes tão consensuais como os já referidos, outros também da sua autoria são capazes de ferir algumas susceptibilidades, tais como ‘Rabanadas’, ‘Jaquinzinhos’ ou ‘Pipis’...

A nossa investigação está apenas no início e por ora foi tudo (quase tudo...) o que conseguimos apurar. Na posse de tão importantes informações não podemos deixar de as publicar independentemente das consequências que possam daí advir. Contamos com a colaboração de todos. Caso tenham mais informações sobre este caso que promete abalar a Cozinha Portuguesa, por favor não hesitem em contactar-nos.

segunda-feira, maio 10, 2004

Boatos são tramados...



Imagem gentilmente "roubada" (aqui rouba-se, mas com carinho) do blog A Verdade da Mentira.

Revolução dos cachorristas



A bola de cristal do Oranginalidade permitiu-nos visualizar o futuro do nosso país. A meio da nossa sessão "bola de cristal" notámos uma zona de particular turbulência e parámos para ver o que significava. E agora vamos alertá-los para esse perigo que se aproxima.

Descobrimos que a 10 de Junho de 2020 vai haver uma revolução em Portugal, que vai ser apelidada de "Revolução dos cachorristas"! E quem são os cachorristas, perguntam vocês? Isso mesmo... também os podem conhecer por farturistas, tostasmistas, imperialistas (no sentido da cerveja) ou sandesdecouratistas. São aquelas roulotes que nos iluminam a noite, que estão à saída da Kapital, do Lux e de muitos outros antros nocturnos por esse país fora. Parecem inofensivos, não é? Com a sua camisa aberta até ao umbigo, o suor a escorrer misturado com óleo das farturas, e o fio de ouro de trezentos mil kilates. Pois enganam bem!

Vocês vão ver... Eles juntam-se todos e vão bloquear sítios estratégicos das cidades nacionais com as suas roulotes. Depois invadem a rádio e dizem "Daqui movimento dos empresários nómadas da noite, faz chavor não abandona a casa, a menos que queira levar cuma fartura no toutiço!". E será o pânico! Gente a correr nas ruas, carros a atirar-se das pontes, radares do aeroporto a deixar de funcionar... Bem, esta última talvez não, mas até podia.

Não vos posso contar muito mais, senão vão viver no medo e na penumbra até lá, não é? Mas ainda vos posso adiantar que as manadas de vacas da fotografia serão importantes aliados dos cachorristas. Ah! E que o líder do 1º Governo Provisório será obviamente o Júlio das Farturas, que vai modificar a Assembleia da República, colorindo-a com aquelas belas luzes de tungsténio encadeantes e verdes.

domingo, maio 09, 2004

Variedades



Hoje, o Oranginalidade traz-vos um post à artista de variedades... fala-se de tudo e mais alguma coisa.

Para começar, tenho de vos dizer que fui violentado na rua na sequência da minha "Ode ao Euro 2004" (ver dois posts abaixo...). Vários indivíduos se aproximaram de mim, agarraram-me pelo cabelo e rodaram-me violentamente no ar como se estivéssemos num rodeo e eu fosse a corda de enlaçar. Pois bem... amigos violentos... aquilo era só brincadeira. No fundo, no fundo, eu acredito na selecção nacional e, principalmente, temos é de estar todos ao lado do nosso time... uhh... equipa...

Violências à parte, estava há bocadinho a ver imagens do encontro que houve esta semana entre o nosso PM e o seu homólogo espanhol. O que eu adoro destas imagens (para além dos sorrisos mais amarelos à face da terra) é a parte em que os filmam e fotografam, estando os ditos senhores já sentados e em amena conversação. Mas o que é que aqueles dois dizem um ao outro nesta fase? Segredos de estado não é de certeza... deve ser mais:

- Olá Zapatero, então? Tudo bem consigo?
- Sim, sim! E por cá também?
- Também, também... Agora não tem feito muito sol... em Espanha também, é?
- É isso, é isso... e a esposa e os meninos, estão bons?
- Lá vão andando, lá vão andando, obrigadinho...

Para quem se estiver a questionar, a fotografia que encabeça este post foi tirada pelo meu telemóvel em Assuão, no Sul do Egipto, e tem o sugestivo nome de "Pôr-do-sol no Nilo". Bonito, hein?

sábado, maio 08, 2004

Aristogatos

Os meus gatos querem ser famosos! Não se contentam com o reconhecimento da minha família e com a quase vassalagem a que nos submetemos. Querem protagonismo.
O Felino é o mais velho, exigente e empertigado. Passou os seus 9 anos de vida a comer pescada com ervilhas. Só! Os meus amigos chamam-lhe “bisonte”. Já um animal não pode ser um bocadinho obeso…
A Tininha é a irmã do meio. É amorosa e bem-disposta. Nunca se revolta com uma brincadeira maldosa que lhe façamos (o que é uma mola presa à cauda de vez em quando, hem?). Gosto de imaginar que se a vida fosse uma banda desenhada ela teria direito a um balão de pensamento… vazio! Puff!
A Nita foi salva depois de ter atravessado a Ponte 25 de Abril dentro do motor de uma carrinha. Era esquiva, assustadiça e magra. Agora que aprendeu a confiar nas pessoas está sempre à espera de que alguém se deite para fazer cama em cima do humano escolhido e dormir quentinha o resto da noite.

Ainda não perdi a esperança de salvar todos os animais abandonados de um destino incerto e de impedir a minha mãe de lhes dar nomes com a vogal “i” – questões fonéticas, é a justificação.
Voilà, bichanos! Espero que estejam satisfeitos. Não vos consegui uma reportagem na TVI (estavam ocupados com a história de um menino que nunca viu o mar) mas têm um lugar de destaque aqui no “Oranginalidade”. Que tal? Agora esqueçam-se de fazer comments que eu também me esqueço dos vossos biscoitinhos de salmão…


Felino, Tininha e Nita

quinta-feira, maio 06, 2004

Ode ao Euro 2004



Ó Euro que te aproximas
Já falta pouco mais de um mês
Valores mais altos encimas
Não é provável seres cá outra vez

Antes vai ainda haver
Muito rock para ouvir
Dizem-me que no rio vai ser
Mas parece-me que é a mentir

A 12 de Junho começas
No Estádio do Dragão
Somos logo nós contra os gregos
A primeira desilusão

Pelo meio muita gente vem cá
Não estarão cá só portugueses
Desde os pobrezinhos dos búlgaros
Aos hooligans ingleses

Acabas na grande final
Em pleno inferno da Luz
Não vai é lá estar Portugal
Nem provavelmente o Carlos Cruz

quarta-feira, maio 05, 2004

Terceira Geração é só vantagens



Já se está mesmo a ver que esta terceira geração móvel ou UMTS (Um Magnífico Telemóvel Supercaro) só pode trazer vantagens às comunicações móveis. Parece que já estou a ver...

- Então querido, a que horas chegas para jantar?
- Não sei bem, ainda estou no escritório!
- Ai é? Não sabia que agora tinham néons e stripers aí na empresa... Grrrrr!

- Ó pai, agora não posso continuar a falar porque estou nas aulas! Vou ter de desligar!
- Que engraçado... no meu tempo não havia máquinas de arcada com o Sega Rally nas salas de aula...

- Então quando é que o senhor pode vir cá arranjar o cano que rebentou?
- Olhe, hoje já não dá que eu estou aqui a fazer um trabalho em Viseu...
- É? Mas agora é normal haver lojas a dizer "Doçaria Típica do Algarve" aí por esses lados?

- Então Camacho, reunimos esta semana para renovares o contrato?
- Si, si, claro Luis Filipe, eso esta garantido!
- Que engraçado... vê lá tu... parecia mesmo que tinha visto uma placa a dizer F.C.Porto SAD aí atrás de ti... ele há coisas...

terça-feira, maio 04, 2004

O Génio Tarantino



É indiscutível que Kill Bill é um filme capaz de gerar quer paixão quer ódio. Há quem o acuse de exagerado, de sanguinário, de fantochada... mas eu não concordo com nada disso.

Acho que, para começar, a história está muito bem construída. Aliás... nem obriga os críticos a grandes segredos, já que desde o início o realizador assumiu o final no título. A interpretação das personagens é também muito boa. Principalmente a de Uma Thurman, que aparece, quanto a mim, na sua melhor prestação até hoje. Encaixa-se perfeitamente na personagem d'A Noiva e nota-se muito trabalho de casa da actriz, mesmo em pequenos pormenores.

E depois pronto... depois também sou eu que adoro cinema de Tarantino e posso ficar um bocadinho toldado por isso. Mas digam lá se a banda sonora não é fabulosa? Se a fotografia não é deliciosa? Se a incursão no animé e nas artes marciais não é muito à frente? Digam, digam... mas se disserem mal, ainda vos aplico um golpe mortífero como os do filme! Ou então não...

segunda-feira, maio 03, 2004

Pérolas do derby



Não, não vou falar do jogo... Disso já vocês ouviram bastante e, além disso, o meu "fanatismo" clubístico iria turvar o meu post e o mais provável era que só me referisse a duas pérolas: o Moreira e o golaço do Geovanni. Mas não vou apontar por aí para não chatear os futuros terceiros classificados da SuperLiga.

As melhores pérolas nestas situações são as jornalísticas. Ora vejamos...

- Emissão especial da SIC Notícas pré-derby... A estação de Carnaxide tinha dois repórteres no exterior do Alvalade XXI, um de cada lado do mesmo, que iam passando a emissão entre eles. Para quem estava a ver, não deixou de ser muito apelativo ver o mesmo homem a ser entrevistado duas vezes. A primeira coisa que eu pensei foi: "Mas eu não conheço esta cara de algum lado?"... É, parece que era o mesmo de cinco minutos antes, com o mesmo discurso de culpabilização dos árbitros...

- Emissão volta ao estúdio, onde o pivô pede desculpa ao Veloso e ao Dr. Eduardo Barroso por terem estado meia-hora à espera... O Doutor estava fulo e desancou brutalmente no pivô e na SIC... o jornalista que não sabia muito bem de que terra era, pergunta-lhe: "Então? O que espera deste derby?". A simpática resposta... "O que é que espero? Não espero nada... O que é que havia de esperar? Quero que o Sporting ganhe mesmo que jogue mal! Não sei porque é que me convidam para vir dizer estas banalidades absurdas...". Bonito!

- Na transmissão... Confirma-se! Gabriel Alves está como o vinho do Porto, quanto mais velho melhor... Que bem que sabe ouvi-lo interromper o colega para dizer com uma entoação "shakespeariana": "Paulo Catarro, senhores telespectadores, atenção, muita atenção! Moreira está inspirado!". Não percebo porque é que o Marco Horácio nunca mais convida o Gabriel Alves para ir ao "Levanta-te e Ri", mas enfim...

- No rescaldo... Dias da Cunha. Eu não tenho nada contra o presidente do SCP e até acho que ele tenta fazer um bom trabalho, mas está cada vez mais caquético. E a ideia de vir dizer que a invasão da claque sportinguista foi provocada porque houve um livre marcado ao contrário para aí um minuto ou dois antes do golo do Benfica... Ai... Alzheimer custa... Estes idosos...

- O mais brilhante! Rui Santos, no rescaldo da SIC Notícias, mostra-se como forte candidato à sucessão de Gabriel Alves no papel de comentador de futebol mais absurdo das terras lusas. Explica ele a Pedro Mourinho: "Mas atenção... Os adeptos que invadiram o relvado estavam sobre o efeito de alguma coisa... Não reparou que vários elementos caíram durante a corrida? Não pode haver álcool nos estádios de futebol!". Ainda agora me estou a rir desta teoria. É que Rui Santos tem mesmo razão... só acho é chato o Luisão ter ido confraternizar e beber uns copos com a JuveLeo antes do jogo... porque também estava sempre a escorregar nesse mesmo relvado. Ah! Com a agravante de ter pitons nas chuteiras e não ténis, como os pobres adeptos que só queriam bater nos suplentes e guarda-redes do Benfica...

Horóscopo Semanal



Vem aí mais uma semana de trabalho e convém consultar o horóscopo para sabermos com o que podemos contar. Como é que conduziríamos as nossas vidas sem esta preciosa ajuda? Reconheço-me nas palavras sábias que a astróloga Maya escreve na Dica da Semana. As suas previsões são-me inteiramente dirigidas. Ela disse: “Se é Aquário, vai sofrer uma perda”. E não é que perdi a borracha?! Nem o oráculo de Delfos faria uma profecia tão precisa…
Por achar, sinceramente, que o trânsito astral (não o intestinal) comanda o destino (qual livre arbítrio, qual quê!) deixo-vos o horóscopo semanal. Porque no blog trabalhamos com poucos recursos, não há um horóscopo para cada signo. Não se preocupem… estas previsões são universais, vão ver que se identificam com as seguintes palavras.

Amor: Se tem uma relação, pode sentir algum tédio no seu dia-a-dia (quem é que não sente?). Se não está envolvido com ninguém, pode tentar preencher algum vazio interior com um namoro temporário (é como os contratos de trabalho, ao fim de 6 meses…). Eventualmente… é possível que… caso tenha um amigo, seja solicitado para o aconselhar.

Dinheiro: Vai ter que se esforçar para equilibrar as finanças. Evite comprar objectos por impulso, poderá arrepender-se de gastos desnecessários (ora aqui está uma situação inédita, alguma vez compraram coisas de que não precisavam? Pois… eu também não…).

Saúde: Tenha um sono restabelecedor e uma alimentação cuidada. Evite gorduras, doces, café, álcool. Coma fruta e hortaliças, muitas hortaliças. Se for susceptível a alterações bruscas de temperatura, pode sofrer de dores de garganta. Se não for, não se inquiete, não corre perigo!

Boa Semana!

domingo, maio 02, 2004

Ir mais além



Todos os dias acordamos das mais diversas maneiras: uns com os primeiros raios de sol que ferem os olhos sem pedir licença; outros ao som do telemóvel; outros ainda acordarão porventura com o som do rádio que gradualmente vai aumentando de volume ou com o ensurdecedor 'pi..pI..PIII' do despertador que desta forma suave nos pede gentilmente que nos levantemos (e ao que nós muitas vezes respondemos com um também suave contacto estabelecido através do nosso punho cerrado que estrondosamente embate no que será porventura o terceiro ou quarto despertador que adquirimos nos últimos meses...).

Eis então que num esforço digno de figurar nas grandes epopeias procuramos vencer a tão grande inércia que nos prende aos lençóis e nos quer proteger de mais um dia onde o desconhecido nos espera... Porém imbuidos de grande coragem comparável apenas à demonstrada por Hércules (ou então à daqueles que agora aparecem num programa que se chama qualquer coisa como 'Medo Factor' ou assim... e daí talvez não... fiquemo-nos pelo Hércules), indiferentes a quaisquer adversidades, não esmorecemos e acabamos mesmo por nos levantar.

Mais um dia que começamos. Mais uma oportunidade para fazermos o que queriamos ter feito, descobrir coisas novas, encontrar o esperado, surpreendermo-nos com o inesperado, ultrapassar obstáculos, estabelecer novas etapas...

Enfim mais um dia em que avançamos por horas nunca dantes navegadas...

Mãe há só uma



- Filho, traz umas bolachinhas à mãe, se faz favor.
Filho remexe na caixa e berra:
- Mãe, há só uma!!!

Sim, já sei que se estão a queixar da previsibilidade desse trocadilho, além de ser hiperconhecido, mas a minha mãe tem muito mais para se queixar do que vocês. É que tem de se debater com a hercúlea tarefa de me aturar diariamente de há vinte anos e alguns meses para cá... E para os que me conhecem pessoalmente, percebe-se que até a palavra relacionada com o herói grego é eufemisticamente empregue neste contexto.

Por isso, hoje este post é um presentinho para a mamã e tem de se pedir desculpa por algumas coisas, não é? Como por exemplo por ter dito mal do Kinas... É que recebi logo uma mensagem a dizer "Este ano, o menino entregue a lista de presentes em Outubro para eu saber, sim?". Não é preciso, mãezinha... Podem vir muitos presentes como é costume, que eu não me vou chatear por causa disso.

Bem... e agora vou ali comprar umas bolachas, já que só há uma na caixa...

(Com milhões de beijinhos para a supermãe gigaresponsável pelo feitio mimado do filho ;) )

Mãe



Hoje vou acordar e dizer-te que gosto de ti. Quando os raios de sol entrarem pela janela do teu quarto e te ferirem os olhos habituados à escuridão, tiro o gato gordo do ninho que fez nos teus braços e deito-me no lugar que é meu.
Saberás que a filha rebelde que tens não sou eu. Eu sou ainda a filha que era no começo: débil e dependente de ti.
As minhas palavras de afecto serão sonoras e as palavras amargas dos momentos de insatisfação esbater-se-ão no mimo desta manhã.
Saberás que te amo na hora que eu escolhi. Tocar-nos-emos no instante em que o sol brilha pela primeira vez e da noite nasce a alvorada.

sábado, maio 01, 2004

Dia do Trabalhador



Hoje é dia 1 de Maio (por pouco, mas ainda é dia 1 de Maio), que é em quase todo o mundo o dia do trabalhador. Em Portugal, particularmente em Lisboa, também é conhecido pelo dia do "coirato" e da "mini" na Alameda ou em Belém. Aliás... é tal a organização do sindicalismo português que, no dia do trabalhador, os festejos são em locais opostos da cidade. É uma situação que nos faz lembrar outra, não é? Pois, isso mesmo, a equipa do Porto a correr para um lado do estádio e José Mourinho na direcção oposta, a festejar sozinho.

Os trabalhadores que mais gostam deste dia são os senhores do lixo. Porque passado o dia 1 de Maio, o dia 2 é particularmente agradável para eles, com quilómetros quadrados de detritos papelóides, vidróides e plasticóides para limpar. Parece que já os estou a ver... A Associação dos Homens do Lixo Indignados com o 1 de Maio (também conhecida por AHLIC1M) reunida numa cave, a ter reuniões para boicotar a festa nos próximos anos.

E assim é... lá está passado mais um feriado, que ao sábado é sempre bem aproveitado...

Aproveito para mandar um beijinho neste dia à minha amiga LPBF, nascida num dia 1 de Maio, num parto difícil... dado que as manifestações quase impediram a chegada à clínica...