terça-feira, maio 04, 2004

O Génio Tarantino



É indiscutível que Kill Bill é um filme capaz de gerar quer paixão quer ódio. Há quem o acuse de exagerado, de sanguinário, de fantochada... mas eu não concordo com nada disso.

Acho que, para começar, a história está muito bem construída. Aliás... nem obriga os críticos a grandes segredos, já que desde o início o realizador assumiu o final no título. A interpretação das personagens é também muito boa. Principalmente a de Uma Thurman, que aparece, quanto a mim, na sua melhor prestação até hoje. Encaixa-se perfeitamente na personagem d'A Noiva e nota-se muito trabalho de casa da actriz, mesmo em pequenos pormenores.

E depois pronto... depois também sou eu que adoro cinema de Tarantino e posso ficar um bocadinho toldado por isso. Mas digam lá se a banda sonora não é fabulosa? Se a fotografia não é deliciosa? Se a incursão no animé e nas artes marciais não é muito à frente? Digam, digam... mas se disserem mal, ainda vos aplico um golpe mortífero como os do filme! Ou então não...

Sem comentários: