sexta-feira, dezembro 31, 2004

Mais Melhores

Como a Tangerina (ver post abaixo) se deu ao luxo (ver post abaixo) de nos trazer as suas músicas favoritas de 2004 (cum caraças, qual é a parte de "ver post abaixo" que ainda não apanharam?), tomei a liberdade de me expressar sobre outras categorias.

Melhor Acontecimento de 2004: Euro 2004
Pior Acontecimente de 2004: Final do Euro 2004

Melhor Pessoa de 2004: Pois quem havia de ser, senão a luz dos meus olhos? :)
Pior Pessoa de 2004: Angelos Charisteas (para quem não sabe é o responsável pelo pior acontecimento de 2004 ser isso mesmo, o pior)

E ainda, para não estender muito a lista...

Melhor Blog de 2004: Oranginalidade
Melhor Característica do Fundador do Oranginalidade: Humildade

ATENÇÃO: Avisamos que é possível que nenhuma das duas últimas categorias correspondam à realidade, mas não faz mal sonhar, não é?

Entrem todos bem no novo ano, e que 2005 vos traga tudo de bom, e vos traga também muitas vezes ao Oranginalidade. É um prazer partilhar com quem cá aparece um bocadinho daquilo que nos vai no pensamento.

Ah, e façam uma resolução de novo ano: "Fazer mais comentários no Oranginalidade!" ;)

Vosso (mais ou menos...)

JP (bold no meu nome, hein? sempre a manifestar-se, esta humildade...)

As músicas preferidas do meu umbigo

Let´s face it: escrever num blog não passa de uma tentativa de chegar ao poder. De influenciar. De, como me ensinaram no curso de Jornalismo, ser um opinion maker. E eu ainda mal cá cheguei e já quero saborear essa autoridade que me é devida. Hoje o Oranginalidade, amanhã um lugar como comentadora na Sic Notícias.
Por isso, caríssimos seguidores (há por aí algum?), segue-se um Top 20 devidamente comentado das melhores músicas de 2004. E são as melhores porquê? Porque eu digo!
Esta lista é, desde já, injusta e batoteira. Injusta porque depois de publicar o post vou-me lembrar de mais vinte músicas de deviam estar aqui. E batoteira porque, se vocês se derem ao trabalho de contar, as 20 mais são na verdade 21.
A ordem da lista é aleatória, porque depende dos dias:

Franz Ferdinand "Take Me Out" ( para ensinar aos Linkin Park da vida como é que se faz rock com atitude. Mesmo que venha de Glasgow. E use risco ao lado.)
Keane "Somewhere Only We Know" (ou qualquer do álbum Hopes And Fears, simplesmente o melhor disco do ano. Dia 10 de Março lá estarei na primeira fila do Coliseu a atirar ao vocalista cuecas de fio dental compradas propositadamente para esse efeito. Sim, porque as minhas fazem-me falta.)
Pluto "Só mais um começo" (ok, admito que ainda tenho saudades dos Ornatos Violeta...)
The Gift "Driving You Slow" (podia ser um hino. Se os meninos se tivessem dado ao trabalho de escrever uma letra à altura da música.)
Black Eyed Peas "Let´s Get It Started" (quem conseguir ouvir isto sem saltar deve ter algum problema. Não me quer parecer que as leis da física o permitam.)
Kelis "Trick Me" (se uma música consegue sobreviver com integridade à banda sonora dos Morangos Com Açúcar, é porque sobrevive ao Holocausto sem um beliscão.)
NERD "She Wants To Move" (ai pois quer!)
Fatboy Slim "The Joker" (pá, e já viram o vídeo? Tem gatinhos!)
Humanos "Maria Albertina" (o António Variações deve estar às voltas na campa. Mas no bom sentido...)
The Streets "Dry Your Eyes" (Banda que é na verdade one man show de Mike Skinner. O tipo lê livros de guionismo do mestre Syd Field para aprender a escrever letras. E está tudo dito.)
U2 "Vertigo" (o Bono está velhinho. Mas eu não me importava nada de lhe esvaziar a arrastadeira. É uma grande música, apesar do álbum não ser – ao contrário do que promete o título – bombástico. Só ainda não percebo a parte do "un ,dos, tres...catorce".)
Snow Patrol "Spitting Games" (foi a ouvir esta música que descobri que o botão de volume da minha aparelhagem tem um limite máximo. Suponho que os meus vizinhos agradecem.)
The Hives "Walk Idiot Walk" (segundo os próprios, uma música sobre todos os idiotas que ocupam cargos de poder. Num lugar perto de si.)
Outkast "Roses" (não me apercebi logo do quão boa esta música é. Mas alguém que escreve "real guys go for real down to Mars girls" sabe o que é que está a fazer.)
Jamelia "See It In A Boy´s Eyes" (escrito pelo Chris Martin dos Coldplay. Aquilo é que era um homem para a vida inteira. Parva da Gwyneth...)
Joss Stone "Feel In Love With A Boy" (original dos meus queridos White Stripes. E só isso já chegava. Mas além disso a miúda canta que se farta.)
Denise James "Love´s Got Me Crying Again" (gastei 1 Euro a ligar para o Qualé para descobrir que raio era isto! Gosto muito da Radar, mas já agora diziam os nomes das músicas.)
The Dandy Warhols "Everyday Should Be a Holiday" ( e eu devia por esta frase numa t-shirt.)
Moloko "Forever More" ( agora que o túnel do Rossio está fechado, será que podemos ir todos para lá dançar?)
Toranja "A Carta" (agora todos: "Não falei contigo por medo que os montes e vales...")
Depeche Mode "Enjoy The Silence 2004" (eu sei que é só um remix. Mas dá para colocar uma das minhas bandas preferidas na tabela)

Bom ano e essas coisas,
Tangerina

quinta-feira, dezembro 30, 2004

A Sátira em Lisboa até 6 de Fevereiro



Bairro Alto? Muitos já lá foram, não é verdade?
Chiado? Essas comprinhas de Natal, hein? Deu mesmo jeito, não foi?

Próximo de um e outro encontram o belo Teatro da Trindade, muito bem cuidado pelo Inatel. E até 6 de Fevereiro podem assistir a uma peça cujo argumento também está muito bem cuidado. O culpado do mesmo? Steve Martin, no seu melhor! Volta nesta peça ao tipo de humor subtil e inteligente que o caracterizou enquanto "stand-upper" (sim, para quem não sabe ele não iniciou a carreira com o Pai da Noiva 1).

Os actores? Pois que também vão muito bem!

Da história não desvendo pormenores, para vos obrigar a ir vê-la, mas imaginar um debate entre Picasso, Einstein e Elvis não será motivo suficiente?

Já sabem... "Picasso a Einstein"... A não perder! Ainda para mais os bilhetes são baratos.

quarta-feira, dezembro 29, 2004

A verdadeira Carta ao Pai Natal

Exmo. Sr. Natal (desculpe não o tratar por "Pai", mas acho que seria abuso da minha parte. Pai só há um e no meu caso era aquele senhor que me trazia carteirinhas de cromos dos Ursinhos Carinhosos e do Já Tocou sempre que ia comprar o jornal).

Esperei alguns dias para lhe escrever esta carta, de modo a dar-lhe tempo para toda a sua travessia planetária, assim como para recuperar dos respectivos jet-legs. Deixe-me que lhe diga que o acho já um pouco idoso para tamanhas tropelias, apesar da sua periodicidade ser meramente anual. Não seria já tempo para gozar da sua reforma, talvez num time-share em Monte Gordo com a Sra. Natal? 2004 anos a descontar para a Caixa ainda devem dar uma reforma de alguma dimensão(a não ser que não tenha descontado, o que faz de si um patife fora-da-lei e um péssimo exemplo fiscal para as criancinhas de todo o mundo). Será que a sua função é tipo Papa, e o Sr. só se pode abandonar o seu cargo quando morrer? Se esta última situação se verificar, aposto que estará de algum modo relacionada com o facto de o Sr. Natal se ter prostituído (desculpe a brusquidão do termo, mas é o adequado) à Coca-Cola. A Guerra Fria não lhe ensinou nada?
Esta minha missiva serve para apresentar uma reclamação escrita referente aos meus intitulados "presentes" deste ano. Vejo-me forçada a entrar em contacto consigo desta forma, uma vez que alguns minutos de conversa com um incompetente funcionário do 118 me levaram a concluir que o Sr. não dispõe de um número gratuito para reclamações e apoio ao cliente. Tentei informar a DECO do sucedido, mas o meu esforço foi inglório, dada a incapacidade de parar de rir por parte de quem atendeu o telefone. Escusado será dizer que, chocada com o sucedido, cancelei de imediato a minha assinatura da Proteste, mesmo sabendo que o próximo número ia ter como chamada de capa uma comparação entre os vários acendedores piezoeléctricos disponíveis no mercado.
A minha reclamação deve-se à total descoordenação entre as prendas que lhe pedi para este Natal e aquelas que vim efectivamente a receber. Gostaria de saber o que é que o levou a ler "pano da louça com Galo de Barcelos" em vez de "I-Pod em cor verde". Também não consigo perceber como foi confundir o item "caixa da trilogia Guerra das Estrelas em DVD" com "cuecas cor-de-rosa modelo avózinha badocha".
Espero que tenha esta reclamação em conta. A morada para onde me pode enviar as prendas CERTAS é a mesma do costume. E por favor, não ignore esta carta apenas por deter o monopólio natalício. Nunca se sabe quando pode começar a ter concorrência. Talvez para o ano apareça alguém mais novo, mais apelativo, com um look e um meio de transporte mais dignos (acho desumano aquilo que faz às pobres renas, em cuja natureza não está a capacidade de voar. Será que a PETA sabe disto?).

Sem mais assunto de momento,
Atenciosamente,

Tangerina

A letra!

Para quem quer recordar, aí fica a letra do Tom Sawyer. Pode ser que assim venham cá parar alguns nostálgicos. :)



Vês passar o barco
rumando pró sul
brincando na proa
gostavas de estar

Voa lá no alto
por cima de ti
um grande falcão
és o rei, és feliz

E quando tu
vês o Mississipi
tu saltas pela ponte
e voas com a mente

Nuvens de tormenta
já estão por aqui
cobrem todo o céu
por cima de ti

Corre agora corre
e te esconderás
entre aquelas plantas
ou te molharás

E sonharás
que és um pirata
tu sobre uma fragata
e sempre à frente de um bom grupo
de raparigas e rapazes

Tu andas sempre descalço, Tom Sawyer
junto ao rio a passear, Tom Sawyer
mil amigos deixarás, aqui, além
descobrir o mundo, viver aventuras

segunda-feira, dezembro 27, 2004

Shô presidente, Shôres deputados

O meu discurso de 27 de Dezembro:

"Shô presidente, shôres deputados, portuguesas e portugueses, cangalheiras e cangalheiros, o motivo que aqui me traz hoje acima deste palanque é de grande importância. Como os shôres sabem hoje é dia 27 de Dezembro e o frio não há maneira de deixar o país. Ora... eu acho que se torna muito óbvio que isto é pura e simplesmente culpa do shôr primeiro-ministro e dos restantes shôres ministros. Este défice de temperatura não pode continuar. Reformas de monta terão de ser efectuadas. E enquanto as mesmas não se processem, temos de avançar para medidas extraordinárias! Assim, proponho que, desde que o Eurostat aprove a medida, se vendam todos os frigoríficos e arcas frigoríficas de todas as shôras portuguesas e todos os shôres portugueses. Tenho dito e tenho frio!"

Resposta ao meu discurso:

"O Hospício da Terra Nova lamenta informá-lo que a sua saída foi adiada em três anos. Aproveitamos a presente mensagem para lhe desejar um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo. Nunca se esqueça... o que custa é começar por admitir!"

domingo, dezembro 26, 2004

The Thin Red Line

Dante bem o sabia...

Do paraíso...


...ao inferno...


...em poucos minutos.

A todos os mortos e suas famílias... o nosso pesar :(

sábado, dezembro 25, 2004

Borrego!



Borrego!

Assim começa o meu post de Natal. Poderiam pensar que vos ia trazer uma longa e extenuante descrição do que preencheu a mesa do meu almoço natalício. Mas não!

Borrego, trafulha, palhaço, traidor, tontinho (bem, este talvez não...), malandro, vigarista! Estes foram alguns dos nomes que me foram chamados nos últimos tempos pelos leitores do Oranginalidade e com muitíssima razão! É indesculpável a falta de posts, o espaço entre eles que é quase igual ao que existe entre eleições (bem, este se calhar não é um bom exemplo...), e como tal tenho de me explicar.

A verdade fundamental prende-se com o facto de eu idolatrar os autores do Gato Fedorento. E ao ver que o blog deles fica um ou dois meses sem posts, tentei imitá-los a ver se me tornava famoso.

Para seguir essa onda até gravei um DVD e tudo. Chama-se "Oranginalidade - Série Borrego". Só não percebo porque é que nenhuma distribuidora aceita colocá-lo no mercado. Como não aceitam, vi-me obrigado a ir vendê-lo para a Rua Augusta. Claro que no início tento convencer as pessoas de que lhes vou oferecer um mês de férias no Brasil.

Não tem dado bom resultado! Os meus melhores clientes têm sido os outros presos. O Dany e o Zarolho gostaram muito do DVD. Acho que até é essa a razão de eu já conseguir tomar banho sozinho, eles têm muita influência por estas paragens.

E assim é o retrato do meu Natal. Espero que uma vez cumprida a pena por burla agravada, desrespeito à autoridade e ser sócio do Benfica, possa voltar a escrever com mais regularidade. O meu advogado diz-me que isso será a partir de amanhã. Mas também... ele diz-me isso sempre que vem cá.

Um Santo e Feliz Natal para todos. Espero que o Pai Natal vos tenha dado tudo o que queriam. A mim deu-me umas algemas menos apertadas e eu fiquei muito feliz! Agora já não sangro dos punhos e vejam lá que até já consigo pegar nos talheres para almoçar. O Zarolho deu-me uma almofadinha com o meu nome bordado. Um querido... acho que é uma amizade para a vida. Assim já sei que quando as coisas estiverem difíceis, tenho sempre garantido um lugarzinho no gang dos auto-rádios na zona de Oeiras.

Até breve, comprem o DVD, se o encontrarem...

terça-feira, dezembro 14, 2004

Carraspilheira de Cima a concelho!



Carraspilheira de Cima exige a subida a concelho! A cidade... quer dizer... vila... cof cof... aldeia... bem, na verdade, é como quem diz... o agregado populacional... pronto, confesso... a Tia Maria de Carraspilheira de Cima, única habitante da terra, exige que a mesma seja designada concelho.

Como justificações plenamente válidas para esta reivindicação, a Tia Maria referiu ao Oranginalidade que "Carraspilheira é munto lindo, de maneira que debia ser cuncelho, queremos ber-nos libres de Freixo-de-Espada-à-Cinta". Segundo informação colhida pela nossa seita, o facto de a Tia Maria se exprimir na primeira pessoa do plural está fortemente relacionado com o facto de considerar parte integrante do seu quotidiano uma cabra, duas galinhas e um perú, que alegremente correm em círculos em torno da sua casa. Além destes, a Tia Maria considerará como parte integrante da população de Carraspilheira um sobrinho seu que vai lá de 3 em 3 anos, mas mais para ir buscar chouriça e paio.

Contactámos as autoridades locais e a GNR de Freixo-de-Espada-à-Cinta, e todos se manifestam gravemente preocupados com a situação, visto existir o rumor de que a Tia Maria ameaça bloquear a estrada que vem de Carraspilheira de Cima, impedindo desse modo a passagem de um carregamento de chouriças da sua casa para Freixo.

(Soubemos ainda que a Tia Maria ponderou vir a Lisboa num 10 de Junho protestar contra a situação enquanto se cantasse o hino nacional... mas achou que isso já seria demasiado baixo e anti-patriota)

domingo, novembro 28, 2004

A Festa do Livro



Na sexta-feira passada fui visitar a Festa do Livro na FIL. Ia com algumas esperanças, já que o evento fora anunciado no Metro, bem como em alguns meios de comunicação.

E num país em que a maior parte das pessoas não lê livros, a desorganização de algumas iniciativas como esta não ajudará sobremaneira a mudar o rumo dos acontecimentos.

Metade do pavilhão tinha livros em segunda (talvez para ser sincero mais em sexagésima segunda) mão, mas não estavam sequer organizados por temas. Assim, a "Anita vai ao Zoo" estava maravilhosamente situada entre "O Segredo de Hitler" e as "1001 maneiras práticas de apertar um parafuso".

A outra metade não era representada por editores livreiros, como a Feira do Livro, mas sim por Livrarias, o que criou a fenomenal coincidência de os mesmos livros serem vendidos em todos os stands.

A aplaudir a ideia, mas a lamentar a execução...

domingo, novembro 21, 2004

12 horas para mim, uma vida nova para outros



O fim-de-semana é provavelmente a altura da semana que mais agrada a 99,9% das pessoas. É aproveitado para descansar, para passear, para ver televisão, para jogar, para pôr coisas em dia, até para estudar, mas também há quem trabalhe.

Ontem das 11 da manhã às 11 da noite, por circunstâncias do meu curso, tive um Sábado diferente, um Sábado de banco. Mas um daqueles bancos de que ninguém se esquece. Em vez dos habituais acidentados rodoviários, enfartes do miocárdio, agudizações de asma, traumatizados cranianos, etc, calhou-me andar pelo serviço de Ginecologia e Obstetrícia e portanto tive o prazer de assistir a uma série de partos.

E acreditem que há poucas coisas mais espectaculares do que ver um pequeno ser vivo a sair do ambiente onde esteve aconchegado durante nove meses, para sair cá para fora e de repente ter de enfrentar uma gigantesca panóplia de estímulos sensoriais e diferenças ambientais. Nem admira que chorem...

Este meu post tem assim de ser dedicado à pequena Ângela (a minha primeira cesariana) e à pequena Margarida (o meu primeiro parto normal), bem como às mães, essas corajosas, acreditem que não é nada fácil!

domingo, novembro 14, 2004

Burfday



Hoje faço 21 anos. 21 Outonos, porque a mim a expressão 21 Primaveras não se adequa! E de quem é a culpa de eu fazer 21 anos? Dos meus pais? Claro que não, estão bem enganados! Não, não sou adoptado, quando muito sou adaptado, mas onde eu quero chegar é ao seguinte... eu ter nascido é que é culpa dos meus pais (ter sido "confeccionado" também terá tido a sua quota parte de importância). Agora o facto de eu fazer 21 anos depende da fantástica dinâmica cósmica, do facto de a Terra distar exactamente estes kilómetros do Sol, de as forças galácticas promoverem uma movimentação tão harmoniosa de todos os corpos celestes. Porque em Plutão ainda seria um bebé e em Mercúrio seria um idoso bem entradote... Isto em termos de idade é claro. Por isso no dia de hoje, mais que os parabéns à minha pessoa, devem ser dados os parabéns aos meus pais, em primeira instância, e ao Universo, por se moldar de forma a proporcionar este facto, em algo que eu chamo de uma visão "JP-cêntrica". ;)

quarta-feira, novembro 10, 2004

O Código de Castelo Branco

O Oranginalidade acaba de descobrir em mais um dos seus magníficos exclusivos que os Da Weasel descobriram a letra da música "Re-Tratamento" no diário de adolescência de José Castelo Branco. Alteraram-na ligeiramente para não chocar as pessoas, mas o Oranginalidade descobriu agora o diário original e lembrou-se de transcrever o texto de JCB "Re-Lacionamento", que fala de uma paixão que o Josésito teve enquanto juvem pubertário. Assim se segue...


Vou levar-te para casa - tomar conta de ti
Dar-te um bom banho, vestir-te um Chanel e…
Fazer-te um foie gras, meter-te na caminha
Ler-te uma historinha e deixar-te bem calminho
Ouve bem: Preciso de alguém do meu lado
Que me dê um bom dia e me deixe bem rasgado
Rasgado pela manhã, pela tarde e pelo fim do dia
Mais um pouco quando sonho era o que eu queria
Não é preciso muito, é muito simples na verdade
Só quero amor bom, carinho, solidariedade
Faz-me gemer e eu prometo que te faço chorar
Trata bem de mim e eu bem de ti vou tratar
Olá bicha, quero tratar de ti
Dar-te um mundo e outro tenho tudo aqui
Chega só um pouco perto de mim
Acredita que nunca me senti assim
Trata-me bem – eu juro que suo em pinga por ti
Faz a coisa certa como o Bruce Lee
Podes usar e abusar tipo brinquedo favorito
Mas tem cuidado, por favor, não o deixes partido…
Dou-te tudo o que puder, tudo o que quiseres
Desde que me jures que não me trocas por mulheres
Já usavas um foguete, vamos dar uma volta sim senhor
Escrevo um livro pelo caminho pra me esquecer do ardor
Procriamos como coelhos e quando nos derem pelos joelhos
Procriamos mais um pouco porque eu adoro fedelhos
Escrevo o teu nome no meu corpo para toda a gente ver
Bem piroso e amaricado, como o amor deve ser…entre machos!!!
Olá bicha, quero tratar de ti
Dar-te um mundo e o outro tenho tudo aqui
Chega só um pouco perto de mim
Acredita que nunca me senti assim
Gostas de filmes? Podíamos fazer um em privado…
Eu escrevo, realizo e actuo do teu lado
Podes ser a minha estrela, vou-te dar um bom papel
Pouca palavra, muita acção, acredita que é mel
Nasceste para isto, tá tudo previsto
Por isso insisto e não resisto a dar-te mais um pouco disto
Amor puro, fresco como a brisa do mar
Tenho montes dele guardado, e tá quase a estragar
Envelheço ao teu lado, eu bicha gorda tu bicha magra
Acabamos com o stock nacional de Viagra
Faz-me gemer e eu prometo que te faço chorar
Trata bem de mim e eu bem de ti vou tratar
Olá bicha, chega ao pé de mim
Deixa-me dar-te o que tu mereces
Tu és a resposta para as minhas preces
Senta-te aqui vais ver que é tão bom
Doce como tu, como um bombom
Olá, bicha quero tratar de ti
Dar-te um mundo e o outro tenho tudo aqui
Chega só um pouco perto de mim
Acredita que nunca me senti assim

terça-feira, novembro 09, 2004

Urgência de um leitor da "Maria"

"Tenho uma urgência... e esta é das graves! Acreditem que há muitas
urgências, mas ser incontinente urinário e estar preso no metro não vem nada
a calhar. Bolas! Logo hoje é que tinha de me acontecer. Também... não sei
quem me manda vestir calças brancas em Dezembro. Agora não sei muito bem que
faça. O metro é de fole... das duas uma: ou fico aqui e serão sempre os
mesmos que se vão habituar ao odor ou vou ser um adepto da partilha e dividir
um pouco por todos. Quem diria? Logo tinha de aparecer na minha cabeça um
conflito de ideologias políticas neste momento... E agora? Tenho pelo menos
urgência em decidir se é Marx ou a economia de mercado que me guiam pelas
avariadas (e em breve fétidas) carruagens do Metro..."

sexta-feira, novembro 05, 2004

Crianças...



Apanhada... esquece! Escondidas... já eram! Cabra cega... um bocado gay, não?

As crianças de hoje em dia mudaram as brincadeiras. Os jogos tradicionais foram como que vaporizados e passam agora a ter formas de entretenimento muito particulares. Ou então não e sou só eu a inventar...

- "Sou israelita, tu és palestiniano": ideal para brincar na praia, o catraio A atira toscas bolas de areia ao catraio B. O catraio B irrita-se e fuzila o catraio A com a sua fabulosa Super-Soaker, último modelo. Como vê que o catraio A vai buscar mais areia para fazer bolas decide construir um muro gigante à sua volta para se defender. Só passado um bocado é que se apercebe do tédio que é estar rodeado por um muro...

- "Sou jogador do Benfica": muito popular entre a pequenada. Correm uns atrás dos outros e de repente um diz "Eu sou jogador do Benfica" e fica parado, pura e simplesmente não se mexe e não corre atrás dos outros. Ideal para crianças autistas, também conhecidas por "futuros Paulo Almeida".

- "Sou um habitante da Quinta das Celebridades": este é um jogo mais restrito... só pode ser praticado pela criançada mais pindérica lá da escola!!! Geralmente quem joga é o Tony (que é filho do Toy e da dona Arlete), o Cacholas (que é grande e desajeitado), o José Fortaleza Preta (que ainda não se definiu sexualmente), o Pequeno Saúl (é o cantor da pequenada) e mais uns quantos com defeitos inerentes à sua personalidade. Como jogam eles? São fechados na casa do guarda e ficam lá a brincar, para gáudio da outra pequenada, que se vê livre deles de uma vez por todas!

sexta-feira, outubro 29, 2004

Junk Mail



Certamente já todos deram conta de um flagelo que nos atormenta a todos:

o Spam, ou Junk mail (como preferirem...)

Invariavelmente, todo o santo dia chegam à minha caixa postal mails e mais mails de remetentes completamente desconhecidos. Alguns ainda ostentam o nome de 'um alguém', que provavelmente achou que eu me sentia sozinho e precisava de uma palavra amiga, e então resolveu mandar-me uma mensagem carinhosa oferecendo algo que nunca me será útil na vida e pelo qual teria apenas que pagar uma pequena quantia, a ser liquidada durante vários meses, de preferência até ao fim dos meus dias se eu não me importar.

Temos depois um segundo tipo de mails, que se não são os mais frequentes a irem parar ao lixo electrónico, não andarão certamente longe dos lugares cimeiros... Se nas configurações do vosso mail na opção em que vos pediam que identificassem o vosso género colocaram a cruzinha no M (supondo que se trata do formulário inglês para 'male') ou H (no português) as hipóteses de ainda não terem percebido de que mails estou a falar devem ser extremamente reduzidas... Exactamente! Mails que proclamam aos quatro ventos que podem aumentar o orgão genital masculino! E o mais caricato são os remetentes e os títulos dos mails que chegam às nossas caixas postais, cada um pior que o outro...
Mas o que eu honestamente não percebo são as pessoas que respondem a estes mails ou vão aos links que indicam, sim porque para mandarem sistematicamente mails é porque alguém há de responder...

Bem, cá fico então à espera de mais mil e um mails que me ofereçam corta-unhas para leões, ervas mágica da Amazónia que curam furúnculos do pé, torradeiras a cores com ligação ao cabo e tantas outras boas e interessantes propostas que andam para aí a navegar entre os nossos e-mails...

quarta-feira, outubro 27, 2004

I have a dream!



Sonhos toda a gente os tem. Acho que sempre ficou por explicar o sonho de Martin Luther King. O problema foi não terem deixado o Dr. Sigmund Freud analisar o sonho do Martin... teria logo descoberto que o facto do pequeno Martin ter deixado de mamar quatro dias antes da média era justificação plausível para toda aquela determinação política.

E por falar no dele... eu também tenho um sonho! No meu sonho entram elefantes amarelos com pintas cor-de-rosa. E rinocerontes de gabardine a andar nas telecadeiras de uma estância de ski. E não compreendo porque é que a mim ninguém me deixa subir para cima de um palanque e falar-vos deste meu sonho...

segunda-feira, outubro 25, 2004

TV Oranginalidade



Ainda ninguém sabe, ou melhor, ainda ninguém sabia até agora, mas vai ser lançado um novo canal no Serviço Digital da TV Cabo, a TV Oranginalidade. Como decerto já depreenderam são os autores deste blog os responsáveis por esse canal, que garante desde já a pior relação custo/qualidade de todo o panorama televisivo português. Como pela falta de qualidade era complicado combater com todos os outros, tivemos de jogar com o custo, e assim os nossos clientes serão "assaltados" mensalmente em 680 Euros, preço que consideramos aceitável para os empréstimos bancários que no conjunto dos autores têm de ser pagos. É que isto de ter Bentleys como o Simão não é para todos.

Para vos abrir o apetite, aí fica uma amostra da nossa grelha para o primeiro dia.

00:00 - Publicidade Enganosa: Colchão fantástico para 10 pessoas que enche em 4,3333 segundos! Aguenta com uma família de 4 ursos em cima.
00:30 - Entrevista com o Urso: 4 mini-entrevistas com os ursos da família.
01:00 - Entrevista com o Colchão: Partilha dos sentimentos do colchão, depois de ser violentamente montado por 10 pessoas e 4 ursos. Esperam-se muitos suspiros...
01:30 - Transmissão em directo da 1ªEliminatória do Campeonato Estadual de Cabra Cega de Minas Gerais (no intervalo a Meteorologia para o Vanuatu, para a Ilha da Páscoa e para o Uzbequistão).
04:00 - Nascer do Sol no Iraque: Transmissão a partir de uma webcam instalada no topo de um minarete em Bagdad. É uma incógnita diária se ainda lá estará.
04:30 - Cinemoranginal: Making-of do filme indiano "Eu chamuça, logo existo".
05:00 - Desenhos animados: Petr Zvotly e os seus amigos (Rep.Checa).
09:00 - Noticiário da Manhã: espaço noticioso alargado e aprofundado.
09:01 - Culinária: Doces sem açúcar, sem natas, sem ovos, sem farinha, sem leite condensado, sem fruta, sem leite, sem fermento, sem adoçante, sem sabor,...
10:00 - Manhã Oranginal: Futilidades do costume até às 13h. Estamos em processo negocial para contratar uns 3 ou 4 gays para que discutam a vida social do país.
13:00 - Saiba Duas à Uma: As duas notícias mais importantes do dia!
13:05 - Saiba o Resto à Uma e Cinco: não é preciso grande descrição...
14:00 - Telenovela "Papai queria goiaba, mas só havia acerola".
15:00 - Telenovela "Daqui para ali no tempo que demorar".
16:00 - Concurso televisivo "Quem quer ser Ordinário".
16:30 - Concurso televisivo "Partam tudo, menos a casa".
17:00 - Momento de reflexão do dia, com o instrutor de yoga Pernando Cruzadi.
17:30 - Telenovela "Pêssegos com adoçante".
19:00 - Série de Humor: "Malucos do Choro".
19:30 - Série de Humor: "Rabanetes".
20:00 - Às 8 por Carlos Bizoito: notícias do dia.
21:00 - Telenovela "Baía das adolescentes pós-pubertárias"
22:30 - Pôr do sol em Godthab, Gronelândia.
23:00 - O Sono das morsas de Godthab, Gronelândia.
23:30 - Cinemoranginal: Exibição do filme "Nove Semanas e Meia no Tibete".

sábado, outubro 23, 2004

Futebol profissional (ou quase...)



- 'Pessoal, vai uma partidinha de futebol hoje à tarde? Vai ser bom para desanuviar, limpar esses pulmões e abater essa barriguinha!'

Não se poderá dizer que a adesão (ou adesividade como diriam alguns) seja em massa, porque 'é à última da hora', 'já tinha coisas marcadas', 'não consigo chegar a tempo', 'não estou em lisboa', 'tenho uma reunião', etc, etc e tal...
Porém, no meio de inúmeras mensagens e telefonemas, lá se conseguem desencantar 10 jovens com pretensões a desportistas e com aquela paixão pelo desporto rei do nosso Portugal.
Já temos os jogadores... o campo também se arranja a custo zero... balizas... balizas já é mais chato, vamos ter que recorrer aos tradicionais postes de 30 cm de altura compostos por um acumulado de mochilas e sweatshirts... Parece que está tudo! O jogo pode finalmente começar!

Não esperem! A bola!!! Quem é que trás a BOLA???

Lá se têm que fazer mais mil e um contactos para descobrir um elemento que possua o 'esférico' (como os excelsos comentadores de futebol da nossa praça gostam de dizer...). Ao fim de 10 minutos de telefonemas para telemóveis de outras redes lá se consegue finalmente resolver mais uma incógnita desta grande equação que é organizar uma mero jogo de futebol entre 'solteiros e casados'.
Parece que desta é que é! Está tudo pronto para mais um encontro de futebol espectáculo!

18.00 - Piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii! começa a partida
Os jogadores mostram uma grande entrega ao jogo, jogam com raça, com vontade. Um
pouco mais com o coração que com a cabeça, mas é normal, faz parte da irreverência da
juventude e da vontade de mostrar o seu futebol.
18.05 - Já se viram algumas jogadas interessantes. As equipas ainda estão um pouco partidas,
mas a pouco e pouco o entrosamento vai aumentando.
18.06 - GOOOOOOOOOOOOLLLLLOOOOOO!!! Um remate de meia distância a fuzilar
o guarda-redes. Não.. Esperem... parece que foi anulado! Em virtude dos postes terem
apenas 30 cm de altura não foi possível aferir a legalidade deste golo...
18.15 - O jogo decorre com normalidade. Já se começa a notar um ligeiro desgaste em alguns
jogadores.
18.20 - O lugar de guarda-redes começa a ser cada vez mais concorrido.
18.25 - Como não podem ir todos à baliza ao mesmo tempo...
INTERVALO
19.00 - O jogo recomeça
19.05 - ...
19.10 - ...
19.15 - A segunda parte decorre com menos interesse que a primeira. A equipa que vai à frente
no marcador abrandou o seu jogo, está apenas a tentar gerir o resultado. A equipa
adversária faz uma boa recuperação...
19.20 - Já está tudo de rastos...
Surge finalmente o já ansiado momento... 'Quem marcar ganha!'
Recorrem-se às energias finais! Os jogadores voltam a correr! O golo teima em não
querer surgir! E eis senão quando, num rasgo de génio surge um remate indefensável
(ou não...)!
19.23 - Piii Piiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii
O jogo termina! Os jogadores mal se mexem, ainda pensam em trocar camisolas, mas
não há amizade suficientemente grande que os faça vestir as t-shirt encharcadas dos
adversários, por isso cada um fica com a sua... é melhor assim!

quarta-feira, outubro 20, 2004

Respostas

Se não fosses parvo, o que é que gostavas de ser?

Se não fosse parvo... obviamente gostaria de ser parvo, por uma questão de coerência.

segunda-feira, outubro 18, 2004

O meu muito muito obrigado!



Eu confesso: detesto chapéus de chuva!

E o dia de hoje fez-me saltar a tampa desta raiva guardada durante muitos anos no mais profundo dos sulcos cerebrais. Como tal, quero daqui endereçar o meu muito muito obrigado ao senhor inventor do chapéu de chuva.

Até podia ter pesquisado quem foi tal pessoa e qual a data de invenção do utensílio, mas se o meu obejctivo é pura e simplesmente ser ofensivo para com esse indivíduo, não fará muito sentido tornar o post demasiado científico!

Levar com água da chuva em cima faz mal? Depende... do sistema imunitário de cada um, da quantidade de água, da roupa que cada um leva vestido. Enfim... há um sem número de possibilidades a explorar, desde um bom blusão a uma boa reza a São Pedro para jogar com estas variáveis.

Agora... um chapéu? Um estorvo que já não tem arrumação quando seco e fechado, estorvo esse que cresce exponencialmente quando molhado e semi-aberto. Ninguém sabe onde arrumar um chapéu molhado, levá-lo na mão é incómodo, pouco prático e irritante. A menos que se seja um daqueles putos pouco imaginativos, que vão sempre a bater nos colegas do lado com o seu utensílio pessoal mais parecido com uma espada da Idade Média.

E quando chove e abrimos o chapéu... mais uma vez é brilhante... O sistema de varetas (hello!!! Varetas cheira a idade do ferro...) faz tudo o que estiver ao seu alcance para se encravar ou mesmo partir e a chuva, actuando em sádico conluio com o chapéu, junta-se ao vento e encaminha-se para a nossa pessoa praticamente na horizontal. Claro está que isto nos obriga a pôr o chapéu meio enviezado e, como tal, deixamos de ver para a frente.

Conclusão... quando damos por nós estamos dentro de uma poça gigante (que não vimos), com água pelos joelhos, a proteger não sabemos bem que parte do corpo... e no final de contas bem mais molhados do que se não usássemos a porcaria do chapéu!

"Olha o chapéu, é 5 Euros!", gritam eles à entrada do Metro. 5 Euros? Não, só se me pagarem uns 20 é que fico com isso...

domingo, outubro 17, 2004

Urgências



É urgente saber porque ele a deixou.
É urgente saber se apanha o avião ou não.
É urgente que ele partilhe as suas memórias.
É urgente que ele saiba a resposta.
É urgente ele dizer o que para si é urgente.
É urgente saber se sobrive ou não.

Para perceber estas e outras frases, é, acima de tudo, urgente deslocar-se ao Teatro Maria Matos até ao dia 30 de Outubro e ver as Urgências. Se não forem... vocês é que sabem... é porque deviam ter algo mais urgente...

quinta-feira, outubro 14, 2004

Niagara Cai (uma tradução à tradutores de cinema portugueses)



Uma agradável surpresa do último Verão, as famosas Niagara Falls. Ia para lá com a dicotomia de opiniões, entre os que as tinham adorado e os que as tinham achado uma desilusão.

Pois cá eu rendi-me... Acho que são lindíssimas, e se lá forem, não percam a oportunidade de ir no barco Maid of the Mist que vos leva a um gigantesco banho debaixo das mesmas.

E para quem já lá foi ou gostava de lá ir, aqui fica este mimo, onde podem estar sempre em cima do acontecimento!

- O meu avô morreu de cataratas!
- Coitado... operaram?
- Não, empurraram...

terça-feira, outubro 12, 2004

O Fim do Fado



Enganem-se aqueles que pensam que eu venho para aqui com ideias revolucionárias para acabar com este nosso símbolo nacional. Não é desse fim que eu falo, é do fim de cada fado, individualmente falando.

É que sempre me fez confusão porque é que todos os fados acabam exactamente da mesma maneira. Se não deram por isso, reparem nos dois sons finais cantados pela guitarra portuguesa (tlõ tlõõõõõ). Será alguma empresa de som que tem a concessão do final de todos os fados durante x tempo? Ou uma mensagem secreta que só os fadistas conseguem decifrar e significa algo como "Já te calavas!"?

Spooky!!!

domingo, outubro 10, 2004

O que foi já lá vai...



Ou pelo menos é isso que quase sempre pensamos, que o passado foi lá atrás, como diziam os Xutos.
Mas às vezes somos confrontados com o contrário. Este Verão, enquanto andava pelo Canadá, via todas as noites na TV o magnífico mundo da World Wrestling Federation. E assim voltei aos meus 10 ou 11 anos, quando fomos presenteados em Portugal com este espectáculo à la americana.

Tudo ou quase tudo mudou na luta livre. Os lutadores são quase todos diferentes, fica um ou outro do antigamente, o nome da prova mudou, são muitos mais, o formato dos combates mudou, mas, acima de tudo, mudou uma coisa: a minha idade!

E foi agora a rir às gargalhadas que olhei para toda aquela encenação apalhaçada (que é realmente um entretenimento) e me lembrei do puto que, sentado no sofá do 10ºDto, seguia fanaticamente a transmissão semanal do Wrestling, por volta do meio-dia de Sábado. O puto que garantia que tudo aquilo que era verdade pura...

Vá lá eu agora justificar na minha faculdade as contusões cerebrais dos adversários do Crush ou a hemorragia abundante que o Yokozuna arranjou uma vez já não sei a quem... ainda sou posto a lavar pratos na cantina!

Doce é a inocência da juventude...

terça-feira, outubro 05, 2004

Mais quintas...

Mantendo a tradição de investigação exaustiva e lancinante, mais uma vez o Oranginalidade orgulha-se de apresentar alguns dos próximos programas a lançar na televisão portuguesa...

Quinta dos Políticos - ouvimos boatos de que já há algum tempo é possível observar este programa num canal televisivo AR TV.
Quinta dos Médios Defensivos - com uma contribuição preciosa de Giovanni Trapattoni e do Benfica será possível ter muitos participantes nesta quinta.
Quinta do Utilizador Pagador - ainda não se sabe bem qual será a procura...
Quinta do Gladiador - os vários participantes fingem que são o Russel Crowe e vão viver numa quinta com leões ferozes. Sempre que um leão fizer das suas... entra novo participante.

Em qualquer uma destas quintas pensa-se que o prémio final será fantástico: terão direito a um bloqueio do sinal da TVI durante 10 anos!!! Quem não gostaria...

segunda-feira, outubro 04, 2004

Descreve o que fizeste no domingo que passou...

Apesar do aborrecimento que as arrumações representam, recuperam-se, no meio de tralhas acumuladas ao longo dos anos, objectos preciosos que nos fazem reviver momentos da vida que julgávamos perdidos na memória.
Neste caso não posso falar na primeira pessoa. O objecto encontrado na minha arrecadação pertence à minha mãe. Trata-se de um antigo caderno de provas para preparação do exame da 4ª classe no qual estão pintados desenhos surpreendentemente bem feitos para uma criança de 10 anos e composições encantadoras, escritas a caneta de tinta permanente, como esta que aqui transcrevo. O enunciado é o título do post.

Eu no Domingo passado, logo que me levantei fui tomar banho e depois comer. Em seguida fui fazer os trabalhos escolares que a Sra. Professora havia marcado no dia anterior. Depois, como já eram 1h30m da tarde, fui almoçar e seguidamente fui de novo recordar as minhas lições. Depois de ter tudo estudado guardei os utensílios escolares na mala e fui, então, jantar e quando acabei de comer fui deitar-me. E assim terminou o meu Domingo que descrevi na redacção.
O Domingo é o sagrado dia que Nosso Senhor nos deu para descansar.

Lisboa, 3 de Maio de 1967”

Gosto especialmente da conclusão… Muito coerente com o resto do texto, não acham? :)

terça-feira, setembro 21, 2004

Setôr...

Como o tempo voa... Já lá vão três anos sem utilizar o "escolarês" "setôr"...

Mudam os lentes, muda a sua designação, agora são todos "professores". Nem ninguém se atreveria em ambiente universitário a chamar alguém de "setôr". Devia dar logo direito a processo disciplinar.

E realmente "setôr" é, admitamos, transmissor de alguma calanzice. Não considero ofensivo, mas não nos teria custado ter tratado os nossos professores por uma designação idêntica à universitária.

Até porque professores como o Professor Fróis de Psicologia ou a Professora Célia de Português têm muito maior dinâmica de ensino que alguns dos pseudomestres universitários.

Ainda bem que ao menos os "setôres" são bem tratados pelo Ministério que neles manda... pelo menos noutros países...

sábado, setembro 11, 2004

Há três anos atrás acordei em Bellows. As palmeiras deixavam entrever o sol que nascia quente e forte. O cheiro das águas do Pacífico invadia a minha cabana. Levantei-me e saí para jogar uma partida de ténis com o meu pai. Ao fim de uma hora e de levar uma tareia do meu querido "veterano" cheguei à cabana e a minha mãe estava cá fora com um ar estranho. Disse-nos só: "Eu desliguei a televisão, parece que caiu um avião não sei onde, estão todos os canais a dar, desliguei logo".

Liguei o aparelho para ver o que se passava e fui confrontado com isto...


Image from CNN

A minha reacção foi sair da cabana a chorar de raiva e desatar a correr para a praia a perguntar "Porquê? Mas porquê?" e a imaginar-me envolvido numa nova guerra mundial.

Por ironia do destino, Bellows está situada na ilha de Oahu, Hawaii, e foi precisamente o primeiro sítio da ilha a ser atacado no ataque a Pearl Harbor. Não muito longe da minha cabana estava uma estátua a um morto atingido pelos aviões japoneses. Ali estava eu no local do maior ataque em solo americano até então...

Vivi esse dia e os dias seguintes no país onde o ataque aconteceu. Apesar de estar mais longe de NY do que se estivesse em Lisboa... vi mais de perto a apreensão das pessoas, tive de passar por checkpoints militares e vi os níveis de alerta serem elevados para o seu máximo.

O ataque a Nova Iorque atingiu-me profundamente. Tenho uma relação muito especial com a cidade e, recentemente, ao falar com amigos americanos apercebi-me que conheço muito mais a cidade e reconheço-me muito mais nela do que 99,9999999% do povo americano. Que se sentiu mesmo assim muito atingido pelos ataques.

Para quem não o viu, recomendo que vejam o filme "25th Hour" de Spike Lee, que é na minha opinião o melhor filme de 2003 e que tem, novamente na minha opinião, um dos melhores diálogos (na verdade um monólogo esquizofrénico) da história do cinema, onde as vivências e realidades de Nova Iorque são todas analisadas por Edward Norton frente a um espelho.

Como esta minha dissertação já vai longa, resta-me dizer que a minha NY será sempre a minha NY, minha segunda (às vezes primeira) cidade e que o skyline de Dowtown Manhattan será sempre assim...



Pelo menos no meu coração e na minha memória!!!

quarta-feira, setembro 08, 2004

Oranginalidade "5 horas e meia da tarde"



Depois do "SIC 10 Horas", a Dra. Rabeca Queijo Gouda aceitou gentilmente conceder uma entrevista ao programa "Oranginalidade 5 Horas e meia da tarde".

Oranginalidade - Boa tarde Dra., ouvimos dizer que hoje nos vem dar mais alguns conselhos de saúde.
Rabeca - É verrdade, eu venho cá elucidarr os homens e mulherres porrtuguesas.
O - E que novidades são essas?
R - Então, venho avisarr os porrtugueses que se tomarrem uma caixa de Xanax inteirra ficam com uma ganda moca.
O - Ah, e mais algum conselho?
R - Sim, sim, também querria dizerre que se tomarrem dois frrascos de Prrozac ficam a verre coisas boas e que se engolirrem de uma vez toda trrês caixas de Inderral o vosso corração parra.
O - Pois, tá certo, mas olhe... isso é seguro?
R - Com cerrteza, com cerrteza, mas pelo sim pelo não... tomem essas coisas perrto de um hospital, não vá o Diabo tecê-las, esse malandrro!

sexta-feira, setembro 03, 2004

Os barcos que se aproximam

Não querendo entrar na polémica levantada com a presença de um barco holândes próximo da costa portuguesa, o Oranginalidade teve acesso (um exclusivo!) a informações precisas de mais alguns barcos que se aproximam do nosso país, passando a ser citados:

- O Barco da Ganza (proveniente da Jamaica)
- O Barco da Pena de Morte (proveniente dos Estados Unidos)
- O Barco da Coca (proveniente da Colômbia)
- O Barco da Tortura (proveniente da Coreia do Norte)

Estão previstas várias manifestações nas ruas das nossas cidades, visto que as actividades praticadas nesses barcos são proibidas no nosso país e há muita gente que se acha no direito de optar por elas. Falámos com alguns desses futuros manifestantes e descobrimos cartazes como "Eu também quero a injecção letal", "Tenho direito a levar com a moca de pregos" e ainda "E a Coca-Cola é feita de quê?".

quinta-feira, agosto 19, 2004

Vamos ao circo

250


Todos os anos, em Agosto, vejo cirandar uma carrinha do circo pelas ruas da outrora pacata vila alentejana onde passo férias. Uma voz gravada e ampliada pelo altifalante anuncia, entre outras diversões, simpáticos porquinhos e ursos do Cánadá (assim mesmo, com dois acentos, para parecer que o senhor que gravou a cassete é também ele estrangeiro, talvez pertencente ao circo do Mónaco). O espectáculo reúne centenas de pessoas e, no ano seguinte, certo de outro sucesso, regressa à vila com renovado vigor.

O circo perturba-me. Os porquinhos até podem ser simpáticos e não discuto a origem dos ursos mas há imagens que me impressionam. Meia dúzia de leões tristes enclausurados numa jaula pequena; macacos sem árvores para trepar; cãezinhos vestidos de bailarinas ou com o equipamento de clubes de futebol. E não só animais ... É o ilusionista que troca de roupa no intervalo e se transforma no atirador de facas; a assistente do ilusionista que tem quase sempre mais de 50 anos e ainda acumula as funções de trapezista com collants esburacados e de vendedora de amendoins; o palhaço pobre e o palhaço rico, ambos com piadas paupérrimas.

Sentada na plateia, contemplo com desagrado as exibições dos supostos artistas e os truques contrariados dos animais. Acho que estou sozinha na minha reprovação. Em volta, todos se riem eufóricos e abanam a cabeça ao som de músicas populares, enquanto os palhaços, agora convertidos em mercadores, lhes impingem canudos coloridos de plástico que se iluminam na escuridão da tenda.

sexta-feira, agosto 13, 2004

A tradição do espelhinho



Hoje de manhã no barbeiro passou-se o que se passa sempre...

- Olá senhor Fernando, como está?
- Vaixe andando, vaixe andando.

Depois lá se fala de bola, lá se tenta escapar às investidas do barbeiro para mudar o tema para a política e por aí fora.

Mas o momento que considero o clímax do corte de cabelo tradicional, é quando no fim o senhor pega num espelhinho pequenino e nos mostra a parte de trás do cabelo. E ao mesmo tempo olha para nós e cabe-nos acenar. Apenas me pergunto, porque raio acenamos nós a aprovar o corte???

Acham que se o senhor nos tivesse esgravetado o cabelo todo lá atrás ia mostrar a calamidade do seu trabalho? E quando o trabalho não está escandalosamente mau, pouco sabemos para opinar sobre o assunto...

Enfim, digam que sim.

terça-feira, agosto 10, 2004

Quando chove


O que acontece numa terra de praia quando chove?

As pessoas não vão à praia - parece-me óbvio.
Como as pessoas não vão à praia, todos os outros sítios, que não a praia, se enchem de um matagal de gente.
O matagal acumula-se nos cafés, onde passo a ter que beber a bica de pé, como se já estivesse atrasada para o trabalho, nos mini-mercados de esquina que, cheios de pessoas, dão a ilusão de serem filiais do Continente, na farmácia (uma gota de chuva na mioleira é quanto basta para desencadear o pânico da gripe), nos salões de jogos que já tinham rufiões e passam a ter rufiões ao quadrado.

Não há nada para fazer. Regresso a casa. Nas casas de férias as televisões só têm quatro canais e não estou com disposição para ver um episódio re-repetido do Rex. Leio para combater o tédio e o mau humor que este Inverno antecipado me provoca.

Pães e companhia

- A seguir, faxavôri!

E pessoa atrás de pessoa, cada um pede a sua sandes. Uns preferem o queijo derretido a entrelaçar-se no bacon, outros o frango de aviário "entranchado" no pão e há ainda os que se deleitam com as delícias do mar, vulgo "marisco dos pobres". Em comum têm todos algo: estão nesta mesma fila à espera da sua sandes.

E, de forma magnífica, a rapariga do balcão vai perguntando o que o cliente quer, mas não o cliente que está perto dela (esse já o atendeu). Questiona, isso sim, o sexto ou sétimo da fila e, após a resposta deste, lá acrescenta mais um tabuleiro à panóplia de tabuleiros vazios, com tickets soltos e selvagens, que estão à sua frente.

Os sete coitados lá vão pacientemente esperando que as lesmas que trabalham nestes postos de "comida rápida", em tradução à letra, se dignem a trazer o seu pedido. Entretanto, podem até divertir-se a ver o Cajó a beliscar o traseiro da Vanessa, e assim testemunhar o amor entre dois empregados desta empresa de sandes. E violência verbal também não falta, visto que a Vanessa começou a gritar com o Wanderley, dada a velocidade de caracol com que este preenchia os pacotes das batatas fritas.

E assim se espera pelo almoço nos dias de hoje. Resta saber o que vem... a seguir, faxavôri!

sábado, agosto 07, 2004

Praia



Mais um Agosto que chega e com ele chega também a vontade de ir à praia. E na praia vê-se de tudo um pouco. Dá-me ideia que é provavelmente o local mais multicultural à face da Terra.

Enquanto vou fingindo ler o meu livro, observo as múltiplas famílias e personagens à minha volta...

A senhora que está lá por frete, o senhor que ainda julga que a sua musculatura abdominal é a de outros tempos, o míudo que pede a atenção dos pais, que fingem que não o ouvem... tantos casos para relatar.

E há sempre os mais engraçados, entre os quais julgo poder eleger:

- Os tipos do skeetboarding (ou wakeboarding...) que, invariavelmente, se "espetam" contra as pernas repletas de varizes das senhoras que só se tentavam molhar até ao joelho...

- O senhor "hiper-oleoso" que deve achar que fica bem, mas que a mim me dá a clara ideia que o pobre infeliz tropeçou e estatelou-se por inteiro num balde de manteiga...

- Por último o meu favorito de um destes dias, o míudo hiperactivo, que não se calou o tempo todo... Lá ia ele comentando tudo o que fazia... "Miguel, o homem da prancha", "Sou o Miguel, o faz castelos", "Miguel, o rastejador"...

terça-feira, agosto 03, 2004

Infância

Todos os grandes escritores exploram o tema da infância. Eu não sou uma grande escritora (não sou sequer uma escritora) mas hoje também quero falar da minha infância.

Desse período recordo a ausência de responsabilidades e o tempo preenchido com brincadeiras criativas. Lembro-me ainda - e com menos saudades - de atitudes cruéis que me envergonham. Quando inventei que uma menina tinha piolhos, quando enterrei o aparelho dos dentes de uma amiga na areia da praia e todas aquelas vezes em que impedia as outras crianças de participarem em jogos porque, uma vez que os tinha inventado ou tomado a iniciativa de os jogar, achava-me no direito de excluir, por capricho, aqueles de quem não gostava.

Outra coisa curiosa foi descobrir ao longo dos anos a quantidade de palavras que, apesar de se assemelharem foneticamente à palavra original, eram ridiculamente mal pronunciadas ou escritas. Eu pensava, por exemplo, que rebuçado se dizia burro-assado e escrevia igreija e muinto nas composições da escola primária... À conta destes e doutros disparates passava a tarde a corrigir a minha ortografia, preenchendo com sacrifício uma página do caderno com igreja e outra com muito. Reconheço agora a competência daquela a quem eu, instruída pela minha avó, chamava solenemente Senhora Professora.

E eram os meus aniversários e a casa cheia de miúdos felizes que comiam com prazer os bolos, as gelatinas e os rebuçados (vá lá, aprendi!); as tardes de Primavera no quintal dos meus avós a colher morangos; as férias de Verão e os amigos da praia que duravam uma quinzena e eram substituídos, sem desgosto, por outros na quinzena seguinte. Depois Setembro, o regresso à escola, reaprender o gesto de segurar na caneta e gatafunhar desajeitadamente, numa letra de analfabeto que agora decifro com esforço, a primeira composição do ano com o invariável título "As férias grandes".

sexta-feira, julho 30, 2004

Carpe diem

Mais uma fase de exames que passa e eis-me de volta ao blog. Estive isolada durante dois meses e de regresso ao mundo não o reconheço.
Falam-me de filmes que não vi, programas de televisão de que desconhecia a existência… Devo ter sido submetida a uma experiência de criogenia e agora que fui descongelada descubro que estou no século XXIII! Tenho os amigos em atraso e o quarto por arrumar…
A palavra praia é-me estranha. Alimento-me da memória da sensação de pés quentes enterrados na granulação da areia fria e húmida. Que saudades do meu corpo salgado do fim de dia estendido na água tépida da banheira!
Estes dias de serena felicidade pareciam-me tão distantes na angústia do estudo… Agora estão perto. São estes dias. É o presente!

“Colhe o dia, porque és ele.” Ricardo Reis

quinta-feira, julho 29, 2004

Em cinzas



Ardeu esta noite o convento do Beato (pelo menos cerca de 70% do mesmo). Depois de quinhentos anos de vida, misteriosamente incendiou-se...

Era um espaço com uma acústica magnífica, basta lembrar os vários albuns que ali foram gravados... de uma variedadade tal que vai de Madredeus a Scorpions. Era ainda um local óptimo para eventos como a Feira de Antiguidades que visitei o ano passado ou certas conferências ou convenções.

Agora... nada. São as curiosidades desta vida. Quem sabe daqui a uns meses não se vê, também muito misteriosamente, nascer naquele espaço mais um monstro de betão lisboeta...

quinta-feira, julho 22, 2004

Dos quatro cantos do mundo



Quatro cantos do mundo, quatro cantos do mundo... tantas vezes se utiliza esta expressão. É pena... já viram? Afinal ficámos todos parados na época da terra plana e ninguém nos avisou disso. Porque se o caso não é esse, desafio astrónomos, geólogos, tarólogos (bem, estes se calhar não...) a mostrar onde estão os quatro cantos do globo (ainda que achatado) terrestre.

Mesmo assim, também percebo que não fosse muito bonita a expressão "das quatro porções de superfície esférica mais afastadas entre si".

No entretanto estão agora a dizer na televisão que o Mantorras está preso no aeroporto por ter um passaporte falso. Este "sistema", faz de tudo para parar o futebol espectáculo e de ataque deste Benfica versão Trapattoni.

Para se divertirem um pouco, e quiçá distrair do estudo, descubram aqui esta pérola, que é a prova da boa recepção que os adeptos ingleses estão a oferecer a JM.

sexta-feira, julho 16, 2004

A problemática da conjugação verbal

Pois é, devem estar todos para aí a pensar 'Este está doido! Eu aqui de férias e este marmanjo vem-me falar de gramática!?!'
Mas é verdade, isto trata-se de um problema bastante grave que está a por em causa a sanidade mental de muitos estudantes, principalmente a minha!!!
 
Ora vejam lá se eu não tenho razão:
 
Eu ainda não estou de férias!!!
Tu se fores um sortudo já estás de férias
Ele está de férias há um mês
Nós queremos desesperadamente ficar de férias mas não está para breve!!!
Vós podeis estar que me é indiferente
Elas (as férias) estão para uns e fogem de outros! Acho seriamente que deviam ter aulas de educação cívica para não discriminarem nenhum cidadão!!!
 
Digam-me lá como é que uma pessoa nestas condições pode fazer as coisas como deve ser?!?
Não há condições... não há condições...

segunda-feira, julho 12, 2004

Clown



O palhaço abriu a porta e saiu à rua. À primeira ninguém reparou nele... afinal, estava vestido com cores nada vivas e apenas maquilhado ao de leve. Continuou viela após viela, até chegar à Avenida Principal. Aí chegado montou o seu "estaminé". O chapéu estrategicamente colocado diante do seu plateau, mesmo a jeito de receber as contribuições de quem passasse. Um lençol no chão, encarnado pois claro, há que chamar a atenção...

E ali passou a manhã. Imitou, deu piparotes, encheu balões, tocou saxofone, tentou encantar e tentou e tentou...

Era já hora de almoço, mas ele não foi almoçar. Tinha de aproveitar a maior afluência de público!

A paciência esgotou-se por volta das três da tarde. O desespero infiltrou-se até às entranhas do palhaço pois em tanto tempo de vida, muitas vezes complicada, nunca tinha tido um dia assim, em que ninguém olhasse sequer para a sua arte. Incrível como em toda uma manhã e princípio de tarde nem uma criança, nem um reformado, nem um turista... ninguém parou para o ver.

Pegou no chapéu tão vazio como a sua alma e subiu a Avenida a pensar na vida.

No dia seguinte encontraram o palhaço enforcado numa corda pendente da estátua que encimava a Avenida Principal. E então... todos notaram a sua presença...

sábado, julho 10, 2004

Back...



Pois é, um exame e uma pequena escapada até ao sol algarvio mantiveram-me afastado do meu querido blog e dos seus ilustres leitores. Neste regresso, primeiro que tudo, há que rectificar o último post...

Sim, o optimista sobre a final. Sempre deu para nos rirmos um bocadinho antes, já que durante e após o jogo a vontade não foi tanta... No entanto, fica um balanço simplesmente fabuloso do Europeu. Quer a nível desportivo, quer, principalmente, a nível da organização. E digo principalmente porque era sobretudo importante para o nosso país passar uma boa imagem de si mesmo e tentar evitar qualquer problema de diversas ordens: segurança, logística,... Acho que estivemos cinco estrelas nesse aspecto.

Acabado o Euro, merece ainda a pena pensar sobre esta onda de patriotismo que nos assolou e pensar na forma de, no futuro, conseguir mobilizar algo de semelhante. Não será fácil, nada fácil, mas pelo menos foi provado que possível é...

E por agora fica por aqui o post do "regresso" para não vos congestionar com palavras após tantos dias de aporte diminuído.

domingo, julho 04, 2004

O quê?

Pergunta a Rui Costa e Fernando Couto:
Acham que a Grécia vai ganhar na final?

Resposta:

terça-feira, junho 29, 2004

Bela ideia...



Nós gostamos de ser simpáticos com os nossos adversários e por isso arranjei este belo avião para a equipa do país das tulipas poder voltar para casa. E isto não é euforia desmedida, eu não disse que eles iam embora amanhã, esperando lá no fundo que sim.

No entretanto, bem que amanhã poderiam ser "florinhas" em campo, gentis, fracas e a abanar ao vento... Não lhes custava nada. E nós arranjámos para eles um avião tão bonito... que não sei se repararam, mas na parte de trás tem um lugar especial para Dick Advocaat.

E fica ainda o aplauso ao nosso Primeiro-Ministro que deu o mote! Sacrificou a sua posição para poder dizer que uma laranja já se foi embora para o Benelux... esperando assim que amanhã vão mais vinte e três!

sexta-feira, junho 25, 2004

ORGULHO!



O título do post basta... não acho necessário escrever muito sobre algo que se "sente" acima de tudo, vale mais que mil, duas mil, três mil palavras!

Entretanto algumas notas do jogo de ontem...

- Wayne Rooney teve a infelicidade de partir um pé e ao que se sabe já pediu uma dose diária de 10 McMenus para se alimentar enquanto estiver a recuperar.

- Foi muito bonito o fair-play de Cristiano Ronaldo ao pedir desculpa a Ashley Cole depois de lhe ter acertado com um forte pontapé no peito e na cabeça. Mas foi muito mais bonito ver Cristiano Ronaldo a desmanchar-se a rir quando lhe voltou as costas... Irra, é que aquele Cole já irritava!

- Nuno Gomes está permanentemente com alucinações. Só isso poderá explicar que quando está a ser entrevistado no final das partidas, enquanto fala, olhe para o lado, frequentemente o direito, local onde não se encontra ninguém, pelo menos que o comum dos mortais observe...

- O jogador com mais azar da selecção é o Jorge Andrade... Acho que todos repararam que o pobre português foi atropelado pela máquina de cortar a relva, ficando o seu cabelo naquele estado lastimável. Coitado do Jorge Andrade...

- Notícias chegadas agora mesmo indicam-nos que Figo foi visto hoje e que ainda continua com uma chucha na boca, um ursinho na mão e a bater com o pé no chão. Os médicos não conseguem explicar o que se passa... de qualquer das formas consta que na perna do urso está escrito "Scolari".

terça-feira, junho 22, 2004

Próximo!



Olé! E os espanhóis já foram para casa... Um jogo com um ambiente fantástico, de muito sofrimento, mas no final dos 93 minutos conseguimos levar a melhor e deixar em êxtase um país que anda de rastos por outros motivos.

Até quem não gosta de futebol me parece que ficou contente com a vitória, com a dinâmica dos festejos.

O meu amigo RS deu finalmente por bem gastos os 165 Euros investidos neste campeonato...

Enfim... um sem fim de emoções e factos que me deixaria aqui a escrever horas...

Mas isso agora é passado!!!

O que conta é quinta-feira, a Luz vai-se incendiar e temos de intimidar os ingleses nas bancadas e em campo! Começa já tudo a ir para Albufeira e pô-los na ordem! Que quando for uma questão de 11 para 11 também teremos de fazer o mesmo!

CONTRA OS BIFES, MARCHAR, MARCHAR!!!

sábado, junho 19, 2004

Ministério do Bom Senso



Quando há uma mudança de governo, acontece algo que sempre me fascinou (e não obrigatoriamente pela positiva), que se prende com a extinção de determinados ministérios e a criação de outros.

Esta remodelação orgânica é, a meu ver, mais um factor de entrave ao desenvolvimento do nosso país, pois muito raramente se retiram daí grandes vantagens. No entanto, dentro dessa dinâmica, se eu fosse eleito Primeiro-Ministro, julgo que a primeira pasta nova que eu criaria seria o Ministério do Bom Senso.

A função do titular desta pasta seria controlar o bom senso dos seus colegas ministros. Pois... isso mesmo... seria o ministro com mais trabalho e também aquele que teria menos sucesso. Mas se conseguisse sequer aumentar em 2 ou 3 % o bom senso das decisões que são tomadas por aqueles que nos governam (decisões essas quase invariavelmente mal tomadas nos últimos séculos) já se retiraria daí alguma vantagem.

O pior é que esse ministro teria de obedecer a uma característica fundamental... o bom senso! E onde é que eu vou arranjar um político assim?

quinta-feira, junho 17, 2004

Calor...



A ironia do destino, essa companheira de viagem que sempre nos segue, quis que eu tivesse de estudar os golpes de calor e os efeitos das vagas de calor logo nesta altura do ano. Pelo meio dos mecanismos fisiopatológicos associados a essas situações, tinha ainda a esperança de encontrar algo escrito do género: "É dado um desconto suplementar aos estudantes universitários, já que o trabalho exercido pelo organismo para manter a temperatura interna constante não é compatível com a apreensão de conhecimentos".

Mas não... para minha desilusão não encontro nada sequer semelhante a tal afirmação. Sou assim forçado a luta desumana contra esse flagelo, que parece que é culpa dos sprays desodorizantes e assim... Esses malandros! Deviam estar agora a estudar por mim, a ver se não lhes custava também.

De calor também se falou ontem, embora seja mais calor humano. Primeiro, o calor humano que senti na Luz, em mim e em todos os que foram apoiar a selecção. Tive medo apenas de que eu e os outros acabássemos por derreter, uma vez que, apesar do resultado, a exibição da nossa equipa não chegou a ser sequer morna...

E o calor prolongou-se noite fora... Cada povo tem a sua forma própria de festejar as vitórias. Não queria que os portugueses fossem como os ingleses, em que festejo é sinónimo de embriaguez do caixão para a cova. Mas não será também um pouco exagerado festejar uma vitória sobre uma selecção mediana como se de um título europeu se tratasse? Ainda se fosse domingo e depois de vencer os espanhóis...

quarta-feira, junho 16, 2004

Falta cumprir-se Portugal!



"Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse toda uma,
Que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste devendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até ao fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgir, redonda, do azul profundo.

Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir-se Portugal!"


Fernando Pessoa, "A Mensagem"


Será que o conseguiremos cumprir?
Será que de uma vez por todas acabamos com estas psicoses maníaco-depressivas que nos levam a aplicar a teoria do 8 ou 80 a tudo o que nos rodeia?
Será que perdemos a mania histórica de só investir nas faixas litorais e tratamos Portugal como um todo?

Será?

domingo, junho 13, 2004

Começou a festa...



Pois é... começou a festa do Euro 2004 e nós até fomos o primeiro bombo e tudo. Mas também tem de ser assim... somos nós que organizamos, é bonito deixarmos as outras selecções contentes...

Senão imaginem... se tivéssemos ganho à Grécia, os gregos ficavam todos tristinhos e nunca mais voltavam a Portugal. Assim não! Vão ver que voltarão muito mais vezes. A nossa "geração de ouro" esteve excelente no plano do marketing e promoção turística.

Não gosto muito é do elfo (sim, já viram bem aquelas orelhas?) grego (vejam bem as orelhas na fotografia...) que nos lixou no primeiro golo ontem... Pois, alguns de vocês estão confundidos e a pensar "Mas o Paulo Ferreira não é grego..." Mas eu estou a falar do outro que nos lixou no golo, o Karagounis.

É que este chouriço já tinha assinado a certidão de óbito do Benfica na Taça Uefa. Um tipo simpático, não há dúvida...

sexta-feira, junho 11, 2004

Seis Meses!!!



E é assim! Seis meses passados, aqui continua o Oranginalidade a espraiar ideias com muito pouco sentido pela blogosfera.

No post de ontem, relacionado com as cinco mil visitas ao blog ontem completadas, não falei dos leitores propositadamente, achei que deveria guardar isso para hoje.

Assim, hoje fica uma versão um pouco "lamechas", mas não posso deixar de agradecer a todos os que por aqui têm passado e contribuído para a existência deste blog.

Muitos escrevem para guardarem o que escrevem para si. Eu fazia isso frequentemente... Quanto às ideias absurdas e mirabolantes, aí dava-lhes liberdade oral, umas vezes conseguiam ter sucesso, a maior parte das vezes não... Assim, olhem... Aqui, ao menos, não se vê o interlocutor a revirar os olhos quando lê o que está escrito. :)

A ideia principal é mesmo essa, e portanto não me quero repetir. O meu muito obrigado a vocês todos, o meu blog existe por vocês e para vocês!

(Nota: não sei porque é que usei o plural a falar com os meus leitores... teria sido mais realista usar o singular...)

quinta-feira, junho 10, 2004

Cinco Mil!!!



Nem sabem o orgulho que sinto em que a marca das cinco mil visitas do contador "Easy-Hit-Counter" seja atingida precisamente no dia de hoje.

10 de Junho, Dia de Portugal, de Luiz Vaz de Camões e das Comunidades Portuguesas.

Infelizmente o dia diz pouco a muita gente... É apreciado apenas por ser mais um feriado, mais uma oportunidade para usufruir do sol e da praia, para muitos se encerrarem em superfícies comerciais a gastar dinheiro, que depois se queixam de não ter.

Mas sendo um dia como os outros, com 24 horas na mesma, acho que devia ser um dia de passado, presente e futuro. Essencialmente um dia em que a reflexão do passado que nos trouxe a este presente deveria constituir um impulso para o futuro que se segue.

Ninguém triunfa negligenciando o passado, ninguém triunfa não estando atento ao presente e decerto ninguém triunfará se descuidadamente não preparar a evolução do futuro.

Citando aquele que também hoje se comemora...

"E vós, ó bem nascida segurança
Da Lusitana antiga liberdade,
E não menos certíssima esperança
De aumento da pequena Cristandade.
Vós, ó novo temor da Moura lança,
Maravilha fatal da nossa idade,
Dada ao mundo por Deus, que todo o mande,
Para do mundo a Deus dar parte grande."



quarta-feira, junho 09, 2004

Kilauea



A semana passada, chamou-me a atenção uma notícia dada em praticamente todos os telejornais. Esta prendia-se com uma forte erupção despoletada no vulcão de Kilauea, na Big Island, Hawaii.

Julgo que qualquer um se surpreende com as imagens da lava deste vulcão a chegar ao mar. A mim, diz-me particularmente muito, já que tive a sorte (mesmo muita, acho que ninguém deveria abandonar o mundo sem ver isto...) de já lá ter estado e visto a mesma lava a chegar à costa sul da ilha.

Tudo é simplesmente fabuloso na Big Island, das fabulosas quedas de água e floresta tropical na costa oriental da ilha, às plantações de nozes de macadamia junto a Hilo, mas o que se prende com a actividade vulcânica é o mais espectacular.

Como por exemplo... dormir à beira da cratera do vulcão, ver os vapores sulfúricos a sair da terra em vários pontos da ilha, e os magníficos túneis de lava! Estes últimos são tão regulares como um túnel do metro, sendo o resultado da passagem muito rápida da lava por ali, que moldou a forma e deixou o espaço. Amazing...

O mais mais mais... é realmente estacionar o carro e ter de andar quase uma hora sobre lava recentemente solidificada (com apenas dois dias!!!), que ainda se sente amolecida debaixo dos nossos pés, até chegar ao local onde os rios de lava chegam ao mar. Depois fiquei aí bastante tempo, praticamente até escurecer, a ver o milagre da criação geológica... Nesse espaço de tempo consegui ver o crescimento da linha de costa, a ilha a ficar maior.

Há poucas coisas que superem isto... acreditem!

terça-feira, junho 08, 2004

Curtas e oranginais...

Ora hoje publicamos em versão soft, para o caso de andarem cansados com o calor...

- Os portugueses são mundialmente conhecidos pela sua capacidade de desenrascanço. Também pela sua "chico-espertice", mas enfim... Vão aqui para verem até onde chega a nossa fama. Nós andamos aí!

- Confirmou-se hoje que a zona junto ao ecrã da esquerda do Palco Mundo do Rock in Rio, foi a que teve maior número de bloggers fixes por metro quadrado. Desafio quem ache o contrário a dizê-lo (e no entretanto vou buscar as AK's e as granadas para tratar desse corajoso ou dessa corajosa...). A comprová-lo estão as presenças nesse local da minha pessoa e também do João Manzarra.

- Scolari zangou-se hoje e disse que para o Benfica é que não vai de certeza. Tiago mostrou-se zangado hoje e deu a entender que quer sair do Benfica. No entretanto e isto não chega aos jornais... os júniores do Benfica estão a um jogo de se sagrarem campeões nacionais, bastando para isso pontuar na próxima quinta-feira. Eu sugeria vender todos os do plantel que não têm alma benfiquista (ah, pois... ficavam um ou dois, não é?) e jogar com sangue novo e com mística. Whatever the result... e que se gastava menos, lá isso... Para treinar podia ir eu, que fazia um trabalho melhor que alguns que lá têm andado e pedia menos... É que isto são muitos anos a jogar CM e acho que estava na altura de mostrar a experiência acumulada ao mundo! :)

segunda-feira, junho 07, 2004

EU FUI!

Mas antes de escrever o "report" da última noite do Rock in Rio, fica aqui o resultado de um teste que eu fiz, recomendado no Nada ao Acaso!, para ver qual o tipo de louco que cada um de nós é...





Faça você também Que
gênio-louco é você?
Uma criação de O Mundo Insano da Abyssinia




Quanto ao festival, as minhas dores nas pernas e o meu sono ainda não me darão a clareza suficiente para falar disso... mas, a quente, tenho a revelar que a noite de ontem foi fenomenal, a mole humana no Parque da Bela Vista impressionante, e os "artistas" estiveram bem à altura.

Ivete Sangalo aqueceu intensamente a tarde/noite com os seus ritmos brasileiros, conseguindo fazer uns bons 50 mil dançar ao som da sua música (principalmente da fase Banda Eva).

Alejandro Sanz, quase não o ouvi, porque estava no combate de "wrestling", sim... aquele que se tinha de travar para chegar a um hamburger ou a um cachorro! Não posso deixar de criticar, embora tirando este pormenor tudo tenha sido cinco estrelas no festival, que, às 21h30, já não houvesse bebidas nas tendas de alimentação. Algo inadmissível com as previsões de enchente que eram sobejamente conhecidas.

Para fazer a digestão, nada melhor (ou nada pior do ponto de vista médico) do que o concerto de Alicia Keys. Surpreendeu mesmo esta minha "colega" de New York. Quem esperava ver um espectáculo só numa onda "soul" calma e descontraída, ficou atónito com a força em palco da americana. Puxou pelo público como poucos nos seis dias de festival (talvez só os Metallica ou os Black Eyed Peas... e as "brasileiras", mas essas já é costume).

Finalmente, Sting. Esteve em grande forma! Está envelhecido, é um facto, mas em palco continua fabuloso. Pena que levasse uma vestimenta algo kitsch :) mas isto é só a minha opinião... parecia não uma estrela musical, mas sim um árbitro da Super Liga... Aparte isso, conseguiu a proeza de colocar 100 mil vozes a cantar em uníssono os seus êxitos. Fantástico!

No fim de Sting, adiós Rock in Rio, até 2006! Ficaram lá os noctívagos mais corajosos para Pedro Abrunhosa e para a tenda electrónica, que este vosso repórter tinha pela frente uma segunda-feira com outro "leit motif"... decorar antibióticos!

sexta-feira, junho 04, 2004

Está confirmado!



Está confirmado! O Oranginalidade já desconfiava, mas confirmou-se. O Avô Cantigas vai ser o próximo treinador do Futebol Clube do Porto. Ao que sabemos, o herói da pequenada tem andado afastado do público português porque esteve a treinar um clube de futebol em Itália. Conseguiu um passaporte italiano falso e tem o nome inventado de Luigi Del Neri.

Mas como nós somos muito incisivos nas nossas pesquisas (e por vezes até, admito, um pouco caninos, pré-molares ou mesmo molares!) conseguimos provas irrefutáveis de que o Avô Cantigas e Luigi Del Neri são uma e a mesma pessoa!

Aliás, temos muitos mais nomes na forja, que iremos denunciar. Já hoje fiquem a saber que o espanhol Marchena, central do Valência, e o grego Fyssas, defesa-esquerdo grego do Benfica, são também uma e a mesma pessoa, como abaixo se prova.

quinta-feira, junho 03, 2004

EU VOU!



É só para não se admirarem de o dia 6, último dia do Rock in Rio, ir ser o dia da maior enchente deste festival. É que desde que foi confirmada, ainda que não oficialmente, a minha presença nesse dia ali na Bela Vista, a corrida aos bilhetes tem-se tornado desenfreada.

Consta até que a própria Britney pondera ficar mais um dia em Portugal para poder ter uma pequena conversa comigo. A Fergie dos Black Eyed Peas e a Daniela Mercury também manifestaram essa intenção.

A esta loucura não será alheio o facto de as pessoas terem descoberto no post de ontem que eu sou amigo pessoal do Capitão Estrela. Perfeitamente compreensível!!! Aliás... eu não queria criar uma batalha campal nas bilheteiras, mas embora vá lançar o pânico, admito: mais capitães estarão presentes no dia 6 no Rock in Rio. O Capitão América e o Capitão Igloo garantiram que vão cá estar. O Capitão Gancho vai tentar desmarcar uma caça ao tesouro que tinha para esse dia, na tentativa de também poder comparecer.

É o Oranginalidade, sempre em cima do acontecimento...

(um beijinho especial às primas P, V, T e MJ, a quem o bilhete tem de ser agradecido ;))

quarta-feira, junho 02, 2004

OVNI em Portugal?

Pois é... grande mistério envolve o aparecimento súbito na noite de ontem de um Objecto Voador Não Identificado na atmosfera portuguesa.

Vi no telejornal da hora de almoço (muito sinceramente para mim foi mais hora de pequeno-almoço) o grande debate já criado tentando explicar as imagens captadas. Várias opiniões se levantam, desde o lixo cósmico ao meteorito, mas o Oranginalidade está na posse de dados exclusivos que nos permitem avançar com duas hipóteses, sendo que uma destas justifica as imagens de ontem. Garantidamente!

A primeira hipótese, prende-se com a tentativa de uma civilização extraterrestre em procurar um centro de estágio para o Euro2004. É que, segundo uma nova regra criada no campeonato de futebol interplanetário extraterrestre, o vencedor do mesmo tem apuramento directo para o Europeu e Mundial terrestres. Só que a UEFA e a FIFA estão com alguma vergonha de dizer isso, e só vão revelá-lo no dia de abertura do Euro. Sabemos ainda que o embaixador futebolístico dos extraterrestres na Terra já cá está há cerca de trinta anos, para tratar de questões logísticas, dando pelo nome de Abel Xavier.

A segunda hipótese, ainda mais provável, aponta para a visita do Capitão Estrela a Portugal. Durão Barroso não quis comentar, mas as nossas fontes confirmam que o Capitão Estrela é esperado hoje em São Bento, sendo disso reveladoras as dezenas de pacotes de Estrelitas espalhados pelo corredor da residência oficial do PM. No entanto, o Capitão Estrela apareceu ontem por ser dia da criança, tendo vindo visitar o seu amigo de longa data (por acaso autor deste post) JP.

Fica ainda com um dia de atraso a fotografia de criança (a fazer birra, dantes, agora e sempre...) deste OTNI que vos escreve...

O regresso do Jedi... JP queria eu dizer...



Finalmente, depois desta pausa de quase cinco dias, volta ao activo este vosso colega da blogosfera. Peço desculpa por ter andado tão arredado destas lides, mas os meses de Maio, Junho e Julho no meu curso são particularmente intensos, com exames de cortar o pescoço.

Assim, foram cinco dias em que me dediquei a temas menos agradáveis para vocês como inflamações, infecções, tumores e outras coisas que tais... Agora vou ter de me dedicar a decorar o nome de todos os medicamentos existentes, mas vou tentar descomprimir no entretanto e deixar por aqui as minhas "parvoíces" do costume.

A todos um Bom Natal (era a brincar... eu escreverei antes disso)