domingo, junho 12, 2005

Porque é que as modas parvas pegam?



Vamos lá tirar uma coisa a limpo: quando foi dito que segundo o novo Código da Estrada era obrigatório ter um colete reflector no automóvel, para usar aquando da necessidade de sair da viatura em plena via por algum motivo, alguém disse às pessoas que a porcaria da camisa "pirilâmpica" tinha de ser estupidamente adaptada ao banco do condutor?

É que parece-me que deve ter havido alguma falha de comunicação no trajecto lei-cidadão, já que parece muito bem a meio mundo português fazer esta adaptação. E eu bem tento compreender... mas se... 1) não está na lei; 2) é foleiro; 3) mais que foleiro, é de parolo... porque é que as pessoas o continuam a fazer?

Qualquer dia as construtoras automóveis e os stands ainda se aproveitam da ideia, e começam a vender carros com coletes reflectores já embutidos no banco do condutor e, quem sabe, até mesmo no do pendura. Parece que já estou a ver o vendedor a dizer que "neste modelo vem como oferta um fantástico colete reflector já agarrado ao seu banco, em modelo hawaiano, lindíssimo para uma situação de emergência junto da praia, e que diverte os outros envolvidos no acidente, mesmo que este aconteça longe de uma estância balnear".

Ele há cada uma...

P.S.: Ideia original da crítica foi do meu amigo RS, a qual eu corroborei.
P.S.2: Já eu, tenho a clara convicção de que os portugueses fazem isto porque têm todos o sonho de um dia vir a ser um steward num estádio de futebol, e convém sempre ter o mágico utensílio à mão de semear.

Sem comentários: