segunda-feira, janeiro 02, 2012

deuses que te tiram da cama

mesmo um niilista sabe que é bem verdade que há deuses com capacidades poderosas. eu conheço alguns e tenho provas bem mais fortes disso do que se tivesse imagens divinas a aparecer-me numa torrada do pequeno-almoço.

adoro sobretudo algumas espécies particulares de deuses. daqueles que, em vez de andarem a brincar às tempestades, sentados em nuvens de algodão solto, preferem aninhar-se em ombros e braços, e braços e ombros, e por aí fora. esses são deuses muito mais determinados. escalpelizam a pele onde nem tem escalpe, porque querem resguardar-se no prazer de um cheiro próprio, de uma cor torrada, em zonas de fronteira da dor com o prazer.

falando com estes deuses, eles respondem-me quase sempre com um sorriso. aquele sorriso da inocência forjada de um querubim, da malícia benevolente de quem sabe que se o prazer é pecado, então o pecado é sinónimo de luz, porque treva não é de certeza.

vou continuar a visitar os deuses. são deuses com muita força. uma força que até me tira da cama. e saio de lá a poder caminhar sobre a água. ou nadar de costas sobre o vento. perdido em deuses em deusas, e dias trocados em noites como quem troca lábios e lábios de melancólica doçura.

Sem comentários: