quinta-feira, fevereiro 19, 2004

Alguém se perdeu a traduzir o título do filme?



Fazer um drama não é muito complicado.
Fazer uma comédia, já é um bocadinho mais exigente.
Fazer uma comédia q puxa para o drama, sem se tornar demasiado trágica ou lamechas, é um trabalho já só reservado a alguns iluminados. Mesmo que deixem de ser iluminados por outros iluminados (o Spike Jonze não ia ficar ali para sempre...).

O stress, a fama, o dinheiro, o amor, o silêncio, o barulho, a confusão, o Japão, a música... todos se juntam em "Lost in Translation". A originalidade da história vale-lhe a presença no blog das "oranginalidades".

Viver mais, viver melhor, viver intensamente e sobretudo aproveitar o momento. Acho que é isso que as personagens aprendem... e simultaneamente nos transmitem. E este filme também nos mostra muito bem como se pode falar de amor, como se pode falar de sentimentos nobres, parodiando... Sem paródia fácil, mas com um humor cuja subtileza é a nota dominante.

O emplastro de Padrinho 3 encheu-me verdadeiramente as medidas... e o pai que não se cuide, que ainda acaba por ficar com menos carecas dourados que a filha!

Sem comentários: