quarta-feira, fevereiro 04, 2004

Yellow Lemon Tree



"I wonder how, I wonder why
Yesterday you told me 'bout the blue blue sky
And all that I can see is just a yellow lemon tree"


Fools Garden


Fruta interessante, este citrino!

Tão depressa adorado, como odiado... O verdadeiro Camões dos tempos modernos!

Confessem... quem é que não adora uma limonada fresquinha no Verão? (quem não gosta, faz favor de não de se pronunciar... uma linha de raciocínio quebrada pode ter consequências muy graves...) Bem bom, não é verdade? Principalmente se a companhia for boa e o sol fizer os seus raios passar por aquelas pedrinhas de gelo que fazem o copo suar... E o limão no bife acabadinho de fazer? Também é de morte... ok, má expressão... é, não de morte, mas sim de vida, afinal sabe tão bem! E o saborzinho da casquinha de limão no arroz doce... Aiii... é melhor eu parar, senão deixo este texto a meio e piro-me para a República Dominicana, com uma taça de arroz doce debaixo do braço, e uma rápida passagem pelo talho da esquina...

Mas também não vou desmentir que os limonáceos (os biólogos devem ir exorcizar-me por este neologismo!) podem ser bem desagradáveis... Por exemplo, comidos "a cru". Não quer dizer que alguém o faça... tá bem, confesso, já experimentei... e só recuperei depois de comer dois pacotes de açúcar...dos grandes!!! É que não sei se sabem, meus amigos vendedores de espreguiçadeiras de piscina (algum deve estar a ler isto, certo???), mas a nossa língua, esse orgão musculoso do paladar, tem locais específicos para receber o saborzinho ou o arrrrggggghhhh do limão... Tudo depende das concentrações e do que o acompanha... Afinal, como tudo na vida!

Beijinhos à M, que, tal como eu, foi incapaz de comer as horrivelmente azedas tartes de limão de Saint Malo! Ficou o paladar guardado para as "moules a la provençale" do Mont Saint Michel, não foi?

Sem comentários: