sexta-feira, janeiro 16, 2004

Não há assim muitas coisas perfeitas à face da Terra... Posso contemplar uma forma geométrica durante alguns segundos e apreciar a sua perfeição. Posso "babar-me" horas com os meus Kandinskys que julgo estar mais uma vez perante a perfeição. Mas não há muito mais a residir nesse patamar.
Hoje, houve algo que o atingiu! A execução de uma série de "Pas de Deux" na Gala de Bailado Clássico, que antecedeu a apresentação do novo BMW série 6, foi realmente fenomenal. É simplesmente brilhante ver como a harmonia dos corpos em movimento pode ser tão perfeita e, simultaneamente, perceber como o treino árduo consegue levar estes bailarinos aos píncaros. Claro que a bomba cinzenta que subiu ao palco no fim também não anda muito longe dos campos da perfeição...

Sem comentários: